Brasil recebe nova remessa com 936 mil doses da Pfizer

No total, o país receberá 2,4 milhões de doses do imunizante nesta semana

Vacina da Pfizer é preparada para uso por profissional da Saúde no Distrito Federal
Vacina da Pfizer é preparada para uso por profissional da Saúde no Distrito Federal Foto: Tony Winston - 10.mai.2021/Ministério da Saúde

Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O Brasil recebeu nesta quarta-feira (30) um novo lote com 936 mil vacinas contra a Covid-19 da Pfizer. Os imunizantes chegaram no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), por volta das 20h30. No total, o país receberá 2,4 milhões de doses do imunizante nesta semana.

De acordo com a representante da Pfizer no Brasil, a chegada das demais doses acontecerá nesta quinta-feira (1º), fechando a entrega de 2,4 milhões. A primeira remessa de vacinas, desta semana, chegou na terça-feira (29), com 528,8 mil doses. 

Este é o 19º lote que o Ministério da Saúde recebe da farmacêutica norte-americana Pfizer; a entrega faz parte do primeiro contrato, assinado em março, que prevê a entrega de 100 milhões de doses até setembro.

Um novo acordo realizado entre o governo e o laboratório,  em maio, prevê a entrega de mais 100 milhões de doses entre outubro e dezembro. 

Vacinas da Pfizer e Moderna produzem imunidade de longa duração

Um estudo publicado pela revista Nature aponta que as vacinas da Pfizer e da Moderna têm duração duradoura contra a Covid-19. Em entrevista à CNN nesta quarta-feira (30), o presidente da Sociedade Brasileira de Virologia, Flavio da Fonseca, disse que a pesquisa é “uma boa notícia”.

Segundo o virologista, havia “certo temor”, até por outros estudos, que o nível de anticorpos tivesse tendência de queda depois de um tempo após serem gerados pela vacina – e até mesmo de que eles desaparecessem.

“Mesmo depois que os anticorpos aparentemente ‘sumam’, as células continuam ativas, ficam guardadas como uma viatura dentro da garagem, se a pessoa é infectada novamente, elas voltam a produzir anticorpos”, afirmou.

Mais Recentes da CNN