Cacau, morango e café: dieta com flavonoides ajuda a adiar declínio cognitivo

No quadro Correspondente Médico, neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre estudo que relacionou alimentação com a prevenção de doenças cognitivas

Da CNN*, em São Paulo

Ouvir notícia

Na edição desta segunda-feira (2) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre um estudo publicado no jornal da Academia Americana de Neurologia. A pesquisa mostrou que comer alimentos ricos em flavonoides, como morangos e pimentas, pode retardar o declínio cognitivo.

O médico explicou que flavonoides são compostos bioativos, ou seja, têm interferência no funcionamento biológico do corpo, e funcionam como antioxidantes e anti-inflamatórios naturais, por exemplo. “Isso faz com que a gente tenha pelo menos um norte de como devemos nos alimentar”, disse.

Entre os flavonoides mais conhecidos e acessíveis para adicionar à nossa dieta do dia a dia estão:

  • Açaí;
  • Brócolis;
  • Café;
  • Cacau e o derivado chocolate;
  • Cebola;
  • Maçã;
  • Morango;
  • Pimenta;
  • Tomate;
  • Uva e o derivado vinho.

“São alimentos que, nesse estudo de longa duração, se observou impactos na redução do declínio cognitivo. Não é só isso que vai fazer a pessoa a se proteger do envelhecimento e do surgimento da demência, mas a dieta também colabora”, acrescentou Fernando Gomes.

O médico lembrou que aliado a uma boa alimentação devem estar a prática de exercício regular, principalmente atividade aeróbica, e sono reparador diário. “Isso faz com que o indivíduo mantenha seu cérebro funcionando a todo vapor e a sua mente esteja sempre afiada.”

quadro Correspondente Médico
No quadro Correspondente Médico, dr. Fernando Gomes falou sobre alimentos que ajudam na prevenção de doenças cognitivas
Foto: CNN Brasil (2.ago.2021)

(*Com informações de Nicole Lacerda, da CNN, em São Paulo)

Mais Recentes da CNN