Controle do avanço da COVID-19 no Brasil depende de isolamento, diz professor

Segundo o professor Silvio Hamacher, se a população não seguir as medidas de isolamento, será difícil prever o número real de casos de coronavírus no país

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O professor e pesquisador do Núcleo de Operações Inteligentes em Saúde da PUC-Rio, Silvio Hamacher, disse em entrevista à CNN neste domingo (5) que o Brasil vive um “cenário preocupante, mas não catastrófico”, diante da pandemia do novo coronavírus. O professor destacou, no entanto, que este panorama só é válido se as medidas de isolamento continuarem em vigor.

Hamacher afirmou que o isolamento tem sido efetivo em relação à progressão da doença no Brasil, e que a cada semana o número de casos confirmados deve dobrar. No início da pandemia no país, o número dobrava a cada três dias.

“Isso mostra uma evolução positiva da doença, em particular nas regiões onde as medidas foram tomadas no início da epidemia, como no Rio de Janeiro e em São Paulo”, disse o professor.

Assista também:

Filho de professor “invade” entrevista; veja o vídeo

De acordo com Hamacher, em um cenário projetado para o dia 20 de abril, o Brasil deve chegar a 41 mil casos confirmados da COVID-19 no Brasil.

“Esse número, apesar de muito elevado, não é tão alto como em outros países, como os Estados Unidos. Portanto, a progressão da doença segue um padrão de países europeus onde a doença está relativamente controlada”, explicou.

Hamacher fez a ressalva de que essa projeção de 41 mil casos confirmados até o dia 20 de abril é válida apenas se as medidas de isolamento continuarem sendo seguidas. 

“Caso a população não continue em quarentena, é difícil prever o número real de casos no país”, disse.

CORREÇÃO: o nome do professor foi grafado incorretamente na tarja que acompanhava a transmissão ao vivo. O nome correto é Silvio Hamacher.

 

 

Mais Recentes da CNN