Gabbardo: Chegaremos ao fim do ano com redução importante na ocupação de leitos

Coordenador do Centro de Contingência Contra a Covid-19 de SP acredita na possibilidade de eventos-teste com pessoas imunizadas até o final deste ano

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo;

produzido por Layane Serrano

Ouvir notícia

Apesar da vacinação estar dentro do calendário previsto, o coordenador executivo do Centro de Contingência Contra a Covid-19 de São Paulo, João Gabbardo, não acredita que ainda neste fim de ano já seja possível a volta das comemorações com grandes públicos, como as festas de Ano Novo. Segundo ele, no fim deste ano será possível observar uma “redução importante na ocupação de leitos” devido ao avanço da vacinação. 

“Não acredito que a gente possa chegar ao final do ano nessas condições [com comemorações e festas]. Eu imagino em chegarmos no final do ano com redução importante nas ocupações de leitos hospitalares. Os hospitais estão com outras grandes demandas, como cirurgias eletivas. Mas ainda vamos conviver com o nível de transmissão da doença um pouco mais elevado”, disse.

Como exemplo, Gabbardo citou o Chile, “que tem quase 60% da população com duas doses da mesma vacina que usamos e ainda tem casos elevados porque esses 40% que não estão imunizados se expoem mais.”

No entanto, o coordenador do Centro de Contingência acredita na possibilidade de eventos-teste “de forma absolutamente controlada”. “Pessoas com evidência de imunização poderiam participar e faríamos um outro evento com pessoas não totalmente imunizadas para compararmos, mas grandes aglomerações não acho possível”. 

“Estou na torcida por uma primeira corrida, quem sabe a São Silvestre com número menor de pessoas, mas só vejo isso na forma de eventos-teste”, disse.

João Gabbardo
João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência da Covid-19 em SP, falou sobre queda de internações no estado
Foto: CNN Brasil (2.jul.2021)

Nesta quinta-feira (1º), o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), afirmou que a capital paulista deve permitir a realização de festas de Réveillon e o Carnaval de 2022. A declaração foi dada por Nunes à imprensa após uma reunião com secretários para tratar do assunto.

Ele justificou a decisão de dar o sinal verde para que os eventos sejam planejados para ocorrer após a queda dos percentuais de internação nos leitos de UTI instalados na cidade e pelo avanço da imunização contra a Covid-19 na capital paulista, com mais de 7 milhões de doses já aplicadas,

Mais Recentes da CNN