Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governadores do AM e PI: não houve mortes por falta de atendimento para Covid-19

    Wellington Dias afirmou que isso aconteceu devido ao esforço do estado junto com os municípios; Wilson Lima disse que o Amazonas enfrentou muitas dificuldades

    Da CNN

    Ouvir notícia

    O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse na manhã desta terça-feira (9) que desconhece que pessoas tenham morrido por Covid-19 por falta de atendimento ou respiradores. Em entrevista para a CNN na tarde de hoje, os governadores do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e do Piauí, Wellington Dias (PT), falaram sobre a declaração do presidente.

    Segundo Dias, não faltaram respiradores e nem leitos de UTI para atender pacientes com o novo coronavírus no Piauí, e isso aconteceu devido ao esforço do estado junto com os municípios. 

    “O estado do Piauí lá atrás teve uma programação com o Ministério da Saúde. Era prevista a entrega, ainda na época do ministro [Luiz Henrique] Mandetta, de 30 respiradores e depois mais 100. Agora, mais recentemente, recebemos os primeiros 20 desses respiradores”, contou. 

        Assista e leia também:

        OMS: transmissão de Covid-19 por pacientes assintomáticos está acontecendo

        Mortes por síndrome respiratória disparam em meio à pandemia, mostram cartórios

    O governador disse ainda que o estado fez um esforço “muito grande” para implementar aproximadamente 400 leitos de UTI, juntamente com a prefeitura de Teresina e com o setor privado.

    Lima, governador do Amazonas, afirmou que o estado enfrentou dificuldades no atendimento, chegou a trabalhar no limite, mas que não pode dizer que houve mortes por falta de respiradores.

    “Nós tivemos outros problemas de outras ordens, mas aqui no Amazonas o estado trabalhou dentro de todas as suas possibilidades. Teve um momento em que chegamos no nosso limite, mas, felizmente, os números começaram a cair e nós tivemos esse aporte do governo federal que deu um certo fôlego”, disse. Segundo ele, o estado tem hoje unidades desafogadas de atendimento.

    (Edição: Bernardo Barbosa)

     

     

    Mais Recentes da CNN