“Hepatite é comum, mas algumas crianças evoluíram uma forma grave”, diz especialista

Max Igor Banks, infectologista do HC da USP diz que doença pode ser causada por adenovírus

João Pedro Malarda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

A hepatite grave, também chamada de misteriosa, preocupa a OMS (Organização Mundial da Saúde), que investiga casos suspeitos em ao menos 20 países. Em entrevista à CNN, o infectologista e coordenador ambulatorial de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Hospital das Clínicas da USP (Universidade de São Paulo), o médico Max Igor Banks, explicou o motivo de a doença levantar um alerta entre as autoridades de saúde, incluindo o Brasil.

“Hepatite é uma doença frequente nos vários países, o que aconteceu é que algumas crianças evoluíram de forma mais grave, e isso gerou um alerto nos países, que estão investigando a possível causa. Quando se pesquisa um quadro de hepatite, as primeiras doenças que se pensa são as chamadas hepatite, A, B, C, D. Todas foram descartadas, e isso chamou mais atenção”, afirmou o especialista em doenças do tipo.

Até sábado (21), o Brasil tinha 70 casos suspeitos de hepatite misteriosa notificados em todo país pelo Ministério da Saúde, sendo que 12 casos já foram descartados e 58 ainda estão em fase de investigação. Nenhum caso foi confirmado oficialmente pelo órgão federal.

Até dia 15 deste mês, a OMS investigava 348 casos prováveis de hepatite aguda infantil em mais de 20 países.

“Esse tipo de situação é comum no mundo e em um processo de vigilância de doenças quando está falando de doenças infecciosas, às vezes pode ter algum sinal, pode ser mais grave ou não. Não é uma iminência de uma hepatite misteriosa acometendo toda a população. Viu-se um aumento do número de casos, estão pesquisando a causa”, explicou Banks, que ainda apontou uma possível causa para a doença misteriosa.

“Uma possível é a infecção por um vírus, o adenovírus, que normalmente não causa tanta inflação no fígado como foi visto nessas crianças. Está se tentando entender melhor o que está acontecendo”, afirmou.

Adenovírus é um vírus transmitido pela respiração e de forma fecal-oral. “Todos nós tivemos infecçõs por adenovírus. Existem alguns tipos que causam infecções em humanos, até ai, é normal. [Quando ocorre] alguma elevação das enzimas do fígado, o médico chama de hepatite, e pode ocorrer na infecção por adenovírus”, explicou o médico.

No entanto, disse Banks, o que os médicos estão observando nas crianças infectadas é diferente da contaminação normal de um adenovírus.

“O que se está vendo é situação diferente, inflação maior das enzimas do fígado, que não costumamos ver com frequência em infecções banais de resfriado em crianças”, disse o especialista.

Mais Recentes da CNN