Infectologista explica riscos do coronavírus em pessoas com comorbidades

Especialista esclareceu que as complicações na COVID-19 são diferentes para cada tipo de doença pré-existente

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O médico infectologista Renato Kfouri, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), explicou à CNN, neste sábado (28), como o coronavírus afeta o organismo das pessoas do grupo de risco por conta de comorbidades. O especialista esclareceu que as complicações são diferentes para cada tipo de doença pré-existente. 

Diabetes

“No caso dos diabéticos, de uma maneira geral, o fato da glicemia estar muito elevada vai causando uma lesão na parede dos vasos de todo o corpo”, explica. “Então há uma deterioração da circulação e da resposta imune do diabético, por isso que grande parte das infecções que existem acometem com maior gravidade o diabético – especialmente quando mais descontrolado”.

Doenças pulmonares

Nesse grupo, o especialista incluiu pessoas com doenças pulmonares como enfisema, bronquite crônica, e ainda os fumantes. “Quando o vírus atinge o pulmão levando a uma pneumonia em cima de um pulmão que já tem sua capacidade de reserva reduzida, a função pulmonar – que traz o oxigênio para dentro e oxigena nosso sangue – acaba sendo muito mais comprometida. Ele já trabalha no limite e, com agravo em cima dessa situação, piora”.

Doença cardíacas

“Quem tem doenças coronarianas ou cardíaca é a mesma coisa. O coração já está funcionando em um trabalho limite, dentro de uma insuficiência cardíaca de algum grau, e qualquer sobrecarga é motivo de descompensação”,

Outros casos

O câncer baixa muito a resistência com o tratamento de quimioterapia, os transplantados que ainda não tiveram o sistema imunológico totalmente restabelecido, quem usa drogas que reduz imunidade, além de pessoas com lúpus o qualquer condição que reduza a imunidade também estão no grupo no risco.

 

Mais Recentes da CNN