Ministério da Saúde negocia 70 milhões de doses de vacina da Pfizer

Secretário da pasta diz que não estão esperando que esta vacina chegue a toda população brasileira

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN nesta segunda-feira (7), Élcio Franco, secretário-executivo do Ministério da Saúde, confirmou que a pasta está negociando 70 milhões de doses de vacina da farmacêutica Pfizer/BioNTech contra o novo coronavírus.

Segundo ele, o ministério vai formalizar ainda nesta semana o memorando do acordo de intenção de compra, “de forma a ter mais uma alternativa para disponibilizar para o população brasileira uma opção de vacina”.

Assista e leia também:

Governo federal avança na compra de vacina da Pfizer

Pfizer divulga bula de vacina contra Covid-19 no Reino Unido

Dose da vacina contra Covid-19 BioNTech-Pfizer
Dose da vacina contra Covid-19 BioNTech-Pfizer
Foto: BioNTech/Divulgação via Reuters

Mais cedo, o âncora da CNN Kenzô Machida havia informado sobre a reunião entre o ministério e representantes da Pfizer que ocorreu na tarde de hoje em Brasília. “Já estamos em termos avançados na discussão da parte jurídica”, afirmou Franco.

Questionado sobre os empecilhos logísticos do imunizante, que precisa ser armazenado e transportado em temperatura extremamente baixa, a -70 ºC, o secretário disse que não estão esperando que esta vacina chegue “a todos os pontos desse nosso Brasil continental”.

“Mas que particularmente os grandes centros sejam priorizados porque a doença também começou nos grandes centros”.

“A Pfizer desenvolveu uma caixa térmica que possibilita o transporte com a conservação nessa temperatura. Essas caixas possibilitam que o imunizante seja transportado em segurança para chegar no ponto de vacinação”, acrescentou.

O Reino Unido começará a aplicar a vacina da Pfizer nesta terça-feira (8) — será o primeiro país a administrar o imunizante da farmacêutica contra a Covid-19. Pessoas maiores de 80 anos, funcionáros de saúde na linha de frente e funcionários e moradores de casas de repouso serão vacinados. 

(Publicado por Sinara Peixoto)

Mais Recentes da CNN