Patamar mínimo ideal de vacinação sobe a cada nova variante, diz pesquisador

À CNN, Felipe Naveca explicou que número entre 60% e 70% de pessoas vacinadas não é suficiente para barrar novas cepas

Foto: Getty Images (Radoslav Zilinsky)

Amanda Garcia e Bel Campos, da CNN Rádio

Ouvir notícia

A cada variante do coronavírus que surge, aumenta o número mínimo necessário da população vacinada para conter a circulação do vírus. A afirmação foi feita pelo pesquisador da Fiocruz Amazônia, Felipe Naveca, em entrevista à CNN, nesta sexta-feira (25).

Segundo ele, não são todas as mutações que vão causar mais problemas, mas que o caso de Israel – que já tinha entre 60 e 70% da população vacinada e viu o aumento de casos aumentar devido à variante Delta, originária da Índia – mostra que o sarrafo da imunização aumenta a cada cepa.

“O caso de Israel mostra que 60-70% da população imunizada não é suficiente para conter uma variante mais transmissível e o risco de surgir uma variante que fuja das vacinas é grande”, explicou.

Para reverter a situação, segundo Naveca, é necessário evitar a transmissão, mantendo todos os cuidados sanitários: “Usar máscara é fundamental, manter distância segura, nunca aglomerar, nunca nenhuma aglomeração vai ajudar num momento como esse que a gente precisa diminuir a transmissão”.

O pesquisador enfatizou que, até o momento, todas as vacinas disponíveis protegem bem contra todas as formas graves e letais da Covid-19, mas fez uma ressalva: “É uma notícia boa, animadora, mas não podemos dar chance de surgir algo pior, a variante delta já sofreu mutação, a delta plus, e elas podem ficar ainda mais transmissíveis”.

Mais Recentes da CNN