Perto de 90% de UTIs ocupadas sob pandemia, Mato Grosso tem situação ‘crítica’

Governo diz que busca ampliação de leitos no estado, mas afirma que há dificuldade em contratar profissionais capacitados

Apenas 536 cidades brasileiras têm UTI
Apenas 536 cidades brasileiras têm UTI Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

Anna Gabriela Costa e Pedro Teodoro, da CNN em São Paulo

Ouvir notícia
A ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nos hospitais do estado do Mato Grosso está próxima dos 90% e o governo estadual já considera crítica a situação nas unidades hospitalares, em decorrência das internações de vítimas da Covid-19, de acordo com nota divulgada nesta sexta-feira (26). 

Segundo informações divulgadas pela secretaria estadual de saúde, em algumas unidades do Mato Grosso já há ocupação máxima dos leitos hospitalares. 

“As equipes de regulação encontram grande dificuldade para a transferência dos pacientes aos leitos de Terapia Intensiva, pois as unidades referenciadas já chegaram à lotação, contando apenas com os leitos de retaguarda – que, pela norma, deveriam ficar disponíveis exclusivamente para a assistência de emergência dos pacientes já internados em enfermaria”, diz a nota. 

Leia também:

Covid-19: OMS espera distribuir 2 bilhões de doses de vacina até o fim de 2021

Covid-19: Brasil soma mais 1.141 mortes e total de óbitos se aproxima de 55 mil

Teste rápido feito em farmácias tem resultado positivo em 15% dos casos

O governo do Mato Grosso afirmou que, em parceria com as prefeituras, trabalha pela ampliação de novos leitos de UTI na Baixada Cuiabana e em todo o estado, mas que se depara com a dificuldade em encontrar profissionais capacitados, apesar de toda a publicidade dada aos editais de chamamento.

Até quinta-feira (25), o Mato Grosso registrava 12.157 casos de contaminados e 462 mortes causadas pela Covid-19, de acordo com o Ministério da Saúde. 

Mais Recentes da CNN