Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pfizer ainda não sabe se pessoas podem transmitir Covid-19 após receber vacina

    CEO da Prizer disse ainda não ter certeza se uma pessoa, após receber a vacina, não poderá mais transmitir o novo coronavírus

    Ilustração de vacina da Pfizer contra Covid-19
    Ilustração de vacina da Pfizer contra Covid-19 Foto: Dado Ruvic/Reuters (9.nov.2020)

    Por Shelby Lin Erdman, da CNN

    Ouvir notícia

    Ainda não está claro se uma pessoa que recebe a vacina contra a Covid-19 da Pfizer ainda pode transmitir o vírus, disse o CEO da empresa Albert Bourla nesta quinta-feira.

    “Acho que isso é algo que precisa ser examinado”, disse Bourla em uma entrevista à NBC News programada para ir ao ar na noite de quinta-feira. “Não temos certeza sobre isso agora com o que sabemos.”

    Mesmo imunizada, há a possibilidade de que uma pessoa transmita o novo coronavírus – ela não ficaria doente com ele, mas, nesse caso, poderia transmiti-lo a alguém não imunizado. 

    Leia também:
    Vacina da Pfizer enfrenta resistência em alas da Saúde e da Economia

    Impasse entre governo e Pfizer pode travar compra de vacina contra a Covid-19

    Bourla também disse ao apresentador Lester Holt que acredita que os participantes do ensaio da vacina que receberam um placebo, em vez de que a injeção real, deveriam agora receber a vacina.

    “É um dilema moral e ético e uma obrigação”, disse Bourla. “Acredito que, em discussão com os reguladores, devemos encontrar uma maneira de, mais cedo ou mais tarde, dar a vacina a todos os participantes do placebo”.

    Se isso acontecer, isso significaria revelar detalhes do estudo da vacina – algo que poderia impactar os resultados de longo prazo, disseram especialistas em saúde.

    A Pfizer solicitou à Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos EUA, autorização para uso emergencial do imunizante. Os consultores do FDA se reúnem em 10 de dezembro para discutir a aplicação.

    O diretor do Centro de Educação em Vacinas do Hospital Infantil da Filadélfia e membro do comitê consultivo de vacinas do FDA, Dr. Paul Offit, disse a Holt que ainda há muitas perguntas sem resposta.

    “Temos meio que um milhão de perguntas para ter certeza de que entendemos exatamente quais são os problemas de segurança e exatamente quais são os problemas de eficácia”, disse Offit. “É eficaz em pessoas com mais de 65 anos? É igualmente eficaz entre grupos raciais, grupos étnicos? É eficaz em pessoas que têm várias condições médicas? ”

    Mas há uma pergunta para a qual ele tem uma resposta, disse Offit.

    “O padrão que vamos manter isso também é, eu daria essa vacina para mim ou para minha própria família? E se a resposta a essa pergunta for: ‘não tenho certeza’, então não vamos avançar. ”

    Mais Recentes da CNN