RJ aumenta sequenciamento para identificar impacto da variante Delta no estado

Objetivo dos testes é identificar qual mutação tem causado mais internações

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Com o intuito de mapear o cenário epidemiológico do novo coronavírus no estado, o governo do Rio de Janeiro vai aumentar, a partir deste mês, o número de sequenciamentos genéticos. O objetivo do estudo é monitorar qual variante do vírus tem causado o maior número de internações.

Os testes serão realizados em pacientes de nove hospitais públicos estaduais, que fazem parte da Rede Nacional de Vigilância Epidemiológica. Os nomes das unidades de saúde não foram divulgados.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), o estudo terá duas etapas. Na primeira fase, serão coletadas 300 amostras de pacientes internados nos hospitais, enquanto na última etapa serão utilizadas amostras aleatórias, como já vinha sendo feito.

O estudo foi planejado em conjunto com o grupo técnico composto por especialistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e UNIRIO. Eles farão os sequenciamentos.

Atualmente, o Rio de Janeiro é o estado que mais registra casos da variante originária da Índia, com 203 pessoas infectadas e 4 mortes confirmadas.

Já em todo território nacional, um levantamento da Agência CNN, com informações das secretarias estaduais de Saúde, aponta que 29 mortes pela variante Delta foram detectadas até o momento. Os dados mostram ainda que 466 pessoas foram contaminadas com a variante de origem indiana do novo coronavírus.

Mais Recentes da CNN