Sem cobertura vacinal, pandemia não terá fim, avalia infectologista

Roberto Medronho, infectologista, disse à CNN que a desigualdade da vacinação entre os países pode impulsionar o surgimento de novas variantes

Ingrid Oliveirada CNN

Ouvir notícia

O fim da pandemia de Covid-19 só será possível se todos estiverem vacinados, alerta o infectologista Roberto Medronho, em entrevista á CNN. “Todos nós temos que estar esperançosos sobre o fim da pandemia, mas para que isso efetivamente ocorra, o mundo inteiro deve ser vacinado.”

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou uma mensagem sobre o andamento da Covid-19. O diretor regional para a Europa da OMS, Hans Klug, se mostra otimista para o fim da pandemia no continente.

 

O especialista explica que o maior obstáculo para a desaceleração dos contágios são as variantes, já que o vírus muda de forma aleatória.

“Pode aparecer uma variante menos grave e, em algum momento, pode surgir uma variante mais grave. O que precisamos é ampliar a vacinação do mundo inteiro.”

Segundo Medronho, o fim da pandemia seria possível se as variantes provocassem apenas sintomas menos graves nas pessoas.  “Mas não temos condições de prever”, diz.

Assista ao vídeo completo.

Mais Recentes da CNN