Zoom ultrapassa Microsoft Teams como programa mais usado para teleconferências

Com aumento de demanda por aplicativos de videoconferência, programa bateu recorde de usuários em um só dia

Reuters
01 de abril de 2020 às 18:11
Teleconferência pelo aplicativo Zoom
Membros de comissão de combate ao coronavírus em Lviv, Ucrânia, em teleconferência pelo aplicativo Zoom
Foto: Roman Baluk/Reuters (26.mar.2020)

O número de usuários móveis da plataforma Zoom no mês de março foi quase três vezes maior do que o do rival Microsoft Teams, de acordo com a empresa de pesquisa Apptopia. A demanda por aplicativos de videoconferência aumentou consideravelmente durante a pandemia do novo coronavírus.

O volume diário de usuários móveis da Zoom nos EUA atingiu o recorde de 4,84 milhões nesta segunda-feira (30), com crianças migrando para programas de estudo online e empresas pedindo aos funcionários que trabalhem de casa para conter a transmissão da doença.

Leia também:

Home office: saiba como controlar os gastos e aumentar a produtividade

O Teams, mais focado no mundo corporativo, foi usado por 1,56 milhão de usuários móveis no mesmo dia. O Slack foi acessado por menos de 500 mil pessoas.

A Zoom não comentou os dados, mas segundo a Apptopia, o número de usuários ativos da plataforma em março aumentou 151% em relação ao ano anterior.

Os dados da Apptopia são baseados exclusivamente no uso do aplicativo em smartphones e outros dispositivos móveis.

"Em primeiro lugar, a grande vantagem da Zoom, no que diz respeito ao software, é que é ajustável, fácil de usar e implementar em vários dispositivos", disse o analista da consultoria DA Davidson, Rishi Jaluria.

"E em segundo, a Zoom possui um modelo freemium [em que o download do app é gratuito, mas há funcionalidades pagas], que permite que as empresas testem a plataforma antes de se comprometerem em fechar um grande pacote"

No entanto, um aumento do número de usuários pode não levar a um aumento na receita do Zoom.

"Definitivamente, vimos um aumento no uso, mas muito disso é de uso gratuito", disse Kelly Steckelberg, vice-presidente financeira da Zoom, em uma teleconferência em março.

As ações da Zoom, que listadas no ano passado a US$ 36 (R$ 189, aproximadamente), estavam sendo negociadas a US$ 136 (R$ 715) na tarde desta quarta-feira (1º). O valor de mercado da empresa mais que dobrou desde o final de janeiro.