Biden elogia acordo 5G sem fio e evita crise de segurança na aviação

Após acordo com operadoras, o presidente afirmou que não haverá mais atrasos na implementação do 5G nos Estados Unidos

Presidente dos EUA, Joe Biden
Presidente dos EUA, Joe Biden 09/12/2021REUTERS/Leah Millis

Por David Shepardson, da Reuters

Ouvir notícia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou um acordo entre operadoras de telefonia móvel e reguladores do país que permitirá a implantação de uma nova tecnologia 5G em duas semanas, evitando uma crise de segurança da aviação.

AT&T e Verizon concordaram na véspera em adiar a implementação do espectro sem fio da Banda C até 19 de janeiro, mas ganharam garantias importantes de que poderão iniciar o serviço neste mês, de acordo com uma carta do Departamento de Transporte vista pela Reuters.

O atraso ocorreu após pressão da Casa Branca, de sindicatos da aviação e de uma ameaça das companhias aéreas de entrar com uma ação para bloquear tal implantação, que poderia interromper milhares de voos diários.

Biden disse que o acordo garante que não haverá interrupções nas operações aéreas nas próximas duas semanas “e nos coloca no caminho certo para reduzir substancialmente as interrupções nas operações aéreas quando a AT&T e a Verizon lançarem o 5G em 19 de janeiro”.

O presidente-executivo da Verizon, Hans Vestberg, disse nesta terça-feira que não vê nenhum problema de segurança na aviação com 5G, mas que a FAA “pretendia interromper um momento já difícil para as viagens aéreas se seguíssemos em frente com a nossa ativação planejada”.

“Sentimos que isso foi a coisa certa a fazer para o público, que inclui nossos clientes e todos nós, dar à FAA um pouco de tempo para resolver seus problemas com a comunidade da aviação”, afirmou Vestberg.

O secretário de transportes dos EUA, Pete Buttigieg, e o chefe do administrador da FAA, Steve Dickson, disseram à AT&T e à Verizon que as agências não buscarão mais atrasos na implantação do serviço sem fio 5G após 19 de janeiro, sem quaisquer “problemas imprevistos de segurança da aviação. ”

O acordo “dará tempo e espaço adicionais para reduzir os impactos nos voos comerciais”, escreveram eles.

O termo de compromisso final em anexo disse, a menos que “problemas imprevistos de segurança da aviação” surjam, às agências dos EUA que “não buscarão ou exigirão quaisquer atrasos adicionais na implantação da banda C, no todo ou em parte, incluindo um atraso no retorno às operações de rotina.”

 

Mais Recentes da CNN