Lia Bock: Redes sociais podem ser peça no jogo democrático, mas não a principal

Nessa terça, houve uma audiência no Senado dos EUA para discutir sobre como essas empresas se comportaram durante as eleições no país

Ouvir notícia

No Manual do Mundo Moderno desta quarta-feira (18), na CNN Rádio, Lia Bock comentou sobre a influência das redes sociais na política. 

Nessa terça (17), houve uma audiência no Senado dos Estados Unidos com os CEOs do Facebook, Mark Zuckerberg, e do Twitter, Jack Dorsey, para discutir como essas empresas se comportaram durante as eleições no país.

Assista e leia também:
Lia Bock: O aumento no número de mulheres eleitas vereadoras no Brasil em 2020
Lia Bock: A nova polarização na política e a necessidade de diálogo
Lia Bock: As dificuldades das mulheres na política

Cartela Manual do Mundo Moderno (Rádio CNN)
Lia Bock comanda o Manual do Mundo Moderno na Rádio CNN
Foto: CNN Brasil

Lia afirmou que existe uma lei nos EUA que determina que essas plataformas, no geral, não são responsáveis pelo conteúdo ilegal que alguém publica nelas. Tal legislação leva à discussão atual sobre a atuação dessas empresas de tecnologia e o fato de que quando elas começam a regular os conteúdos e retiram reportagens do ar, tomam uma decisão editorial.

Ela disse que se discute muito hoje em dia sobre o quanto as redes sociais são responsáveis por checagens ou pelo conteúdo de terceiros que divulgam, o que está relacionado à disseminação de informações falsas.

“O poder dessas plataformas é muito grande e influencia na política, na subjetividade humana, na forma como nós nos vemos, nos posicionamos no mundo. Causam ansiedade, depressão e podem incitar violência”, destacou Lia, acrescentando que existe uma responsabilidade a ser assumida e, talvez, as companhias não estavam preparadas “para esse poder todo”.

“[As redes sociais] podem ser um ator no jogo democrático, mas não podem ser o principal e massivo, acima de tudo”, disse ela.

Lia lembrou ainda que é importante entender como a influência dessas plataformas funciona. Para isso, indicou três documentários sobre o assunto: O dilema das redes (2020), da Netflix, Depois da verdade: desinformação e o custo das fake news (2020), da HBO, e o brasileiro Fora da bolha (2020), disponível na plataforma Vimeo.

Mais Recentes da CNN