Tiranossauro Rex caminhava surpreendentemente devagar, descobre estudo

Novos cálculos apontam que T. Rex percorria pouco menos de 4,8 quilômetros por hora, ritmo mais lento do que estimativas anteriores

Ossada de Tiranossauro Rex
Ossada de Tiranossauro Rex Foto: Mike Bink Fotografie/Cortesia de Pasha Van Bijlert

Katie Hunt,

da CNN

Ouvir notícia

O Tiranossauro Rex era um predador temível, mas com certeza não era um motor particularmente rápido. Na verdade, a maioria dos humanos poderia facilmente acompanhá-lo sem suar a camisa.

Segundo um estudo publicado na última terça-feira (20) pela revista Royal Society Open Science, os novos cálculos de paleontólogos holandeses descobriram que o T. rex teria percorria pouco menos de 3 milhas em uma hora (cerca de 4,8 quilômetros por hora) — semelhante aos humanos e muitos outros animais — em sua velocidade de caminhada preferida. No entanto, esse ritmo é mais lento do que outras estimativas da velocidade de caminhada do “lagarto tirano rei”.

Quando não existe razão para correr, a maioria dos animais — incluindo humanos — tem uma velocidade natural de caminhada que minimiza a quantidade de energia corporal gasta.

Estimativas anteriores não levaram totalmente em consideração o papel da cauda do T. rex — que compõe mais da metade de seu comprimento — ao analisar os números, explicou por e-mail Pasha van Bijlert, estudante de pós-graduação em paleo-biomecânica na Vrije Universiteit Amsterdam e principal autor do artigo sobre a locomoção do dinossauro.

“Os animais tendem a preferir velocidades de caminhada nas quais, para uma determinada distância, o gasto de energia seja mínimo. Eles fazem isso escolhendo ritmos de passos específicos nos quais suas partes do corpo ressoam. Já que toda a cauda do T. rex é suspensa por ligamentos, que se comportam como elásticos, reconstruímos esta cauda para investigar em que ritmo ressoaria”, disse van Bijlert.

“A cauda inteira, pela nossa reconstrução em quase 1.000 quilos, era realmente apenas uma massa sustentada por um elástico e a cada passo ela balançava levemente para cima e para baixo. Com o ritmo certo você consegue muito movimento com pouco esforço”, complementou.

A equipe de pesquisa calculou o ritmo de passo a partir de um modelo de computador de uma cauda baseada em Trix, um fóssil de T. Rex adulto de 12 metros de comprimento exposto no Museu Natural da Holanda. Os cientistas, então, multiplicaram o ritmo de passo pelo comprimento do passo encontrado em trilhas fossilizadas para uma velocidade de caminhada de linha de base estimada de 2,86 milhas por hora (4,6 quilômetros por hora, aproximadamente).

Outros métodos, de acordo com van Bijlert, se concentram principalmente em cálculos baseados nas pernas e nos quadris. Eles certamente desempenham um papel crucial nas estimativas, mas cálculos baseados apenas nessas partes da anatomia podem levar a resultados imprecisos. Isso porque o T. Rex e muitos outros dinossauros tinham caudas únicas que não são encontradas em nenhum outro animal vivo hoje.

Ossada de Tiranossauro Rex
Ossada de Tiranossauro Rex
Foto: Mike Bink Fotografie/Cortesia de Pasha Van Bijlert

Semelhante à velocidade de caminhada dos animais hoje

Entender como um predador importante como o T. Rex se movia pode ajudar os paleontólogos na compreensão sobre o comportamento dos dinossauros e os ecossistemas antigos, respondendo a perguntas como: de quanta comida ele precisava para mover aquele corpo enorme nessa velocidade? Quão longe iria para encontrar uma presa?

Por exemplo, um T. Rex usaria sua velocidade preferida ao caminhar em direção a uma fonte de água. “Também pode dar uma ideia dos tipos de distâncias percorridos para procurar comida”, afirmou van Bijlert.

O autor não estimou a velocidade máxima do T. Rex nesta pesquisa, mas planeja fazê-la usando o mesmo método no futuro.

Outros estudos investigaram as habilidades de corrida do dinossauro e sugeriram uma velocidade máxima entre 12 milhas por hora (20 quilômetros por hora) e 18 milhas por hora (29 quilômetros por hora) — caso fosse mais rápida do que isso, os ossos do animal poderiam quebrar-se.

John Hutchinson, professor de biomecânica evolutiva do Royal Veterinary College de Londres, disse que o papel desempenhado pelas caudas foi um tópico negligenciado nas investigações sobre locomoção de dinossauros.

“A velocidade em que os tiranossauros gigantes normalmente andariam não é uma grande questão para muitos estudos, mas ainda é uma questão interessante. A abordagem usada aqui é complementar aos estudos de simulação baseados em músculos mais sofisticados e, de certa forma, aos dados de pegadas fósseis”, informou por e-mail.

“Este estudo cobre um terreno novo de uma forma inteligente com um modelo original. É interessante e seria útil para integrar e comparar com outras abordagens no futuro”.

O que mais surpreendeu van Bijlert na pesquisa foi que a velocidade de caminhada do T. Rex que a equipe encontrou era semelhante à de uma grande variedade de animais vivos hoje.

“Humanos, avestruzes, cavalos, elefantes, girafas, gnus e gazelas têm uma distribuição muito próxima nas velocidades preferidas (cerca de 2,2 – 5 km/h). Isso inclui animais de duas e quatro patas e também relativamente pequenos e grandes animais”, disse.

“O interessante é que nosso novo método prevê velocidades de caminhada mais lentas para o T.Rex do que outros métodos, mas a velocidade que encontramos está mais próxima de muitos animais que vivem hoje”.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês).

Mais Recentes da CNN