Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ferrari desenvolve volante de Fórmula 1 para carros de rua

    Com formato semelhante ao de modelos de competição, nova direção tem vetorização de torque manual como principal atrativo

    Volante tem design inspirado em carros de corrida, como os da Fórmula 1
    Volante tem design inspirado em carros de corrida, como os da Fórmula 1 Divulgação/Ferrari

    João Vitor Ferreiracolaboração para a CNN

    A Ferrari quer levar a condução de seus carros de rua para um nível quase profissional. A montadora de Maranello está projetando um novo tipo de volante, que se assemelha muito aos dos carros de Fórmula 1 e de outras competições e que possui um sistema de vetorização de torque, permitindo que a força entregue em cada uma das rodas seja escolhida manualmente.

    As patentes do novo volante foram descobertas pelo site CarBuzz e indicam que ele terá o típico formato mais retangular dos carros de corrida. Não só isso, a novidade também se assemelha por ter luzes indicadoras para troca de marchas na parte superior e diversos botões. Dois deles — as setas para esquerda e direita — servem para ligar os indicadores de direção, reforçando a ideia de que esse protótipo é, sim, voltado para modelos de rua.

    Outro detalhe interessante são as extremidades do volante, exatamente na empunhadura. É ali onde a Ferrari pretende instalar o controle para a vetorização de torque, que permitirá ao motorista distribuir a potência recebida por cada uma das rodas.

    Pelos desenhos, é possível ver que os engenheiros projetaram alguns tipos diferentes. Em dois deles, as extremidades podem ser puxadas para fora, girando em uma dobradiça na parte inferior ou deslizando totalmente para fora. No outro design, o motorista opera o mecanismo girando-o com o punho, enquanto, no último, o manuseio é feito com os polegares.

    Seja qual for o formato escolhido, a possibilidade de gerir o torque individualmente em cada roda por meio do volante pode ser incrível para um motorista mais experiente, já que ele pode ter controle total sobre a subviragem e a sobreviragem, que é quando o carro sai de frente ou de traseira — o famoso drift — nas curvas, respectivamente.

    Mas a adição do mecanismo também levanta uma dúvida em torno do motorista inexperiente que utilizá-lo. Nesse caso, a Ferrari utilizará seus sistemas de segurança para evitar acidentes. Além disso, o controle manual de torque poderá ser desligado a qualquer momento, impedindo que o carro seja desconfigurado sem intenção.

    Levando em consideração que o primeiro carro elétrico da Ferrari chegará no ano que vem, faz todo sentido que o volante estreie junto com ele. Afinal, no mundo dos superesportivos eletrificados, é comum que eles tenham um motor instalado em cada roda — ou um por eixo, dependendo do caso.

    Desse modo, o controlador manual atuaria regulando individualmente o torque entregue por cada um deles. O sistema também pode ser compatível com modelos a combustão, desde que tenham um diferencial de vetorização de torque.