Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Veja quais são os 10 carros automáticos mais baratos no Brasil

    Especialistas ouvidos pela CNN explicam os cuidados para comprar um carro com transmissão automática e quando o preço vale a pena

    Carro automático chega a ser mais de R$ 10 mil mais caro que o mesmo modelo de transmissão manual
    Carro automático chega a ser mais de R$ 10 mil mais caro que o mesmo modelo de transmissão manual Divulgação/ Fiat

    Diego Mendesda CNN São Paulo

    Carros com câmbio automático já são tendência no Brasil, inclusive, alguns modelos vendidos no país só existem com esse tipo de transmissão.

    Porém, um dos grandes problemas para o motorista comprar um veículo com esse câmbio é o preço: um carro automático chega a ser mais de R$ 10 mil mais caro que o mesmo modelo de transmissão manual.

    À pedido da CNN, a KBB — Kelley Blue Book — empresa de avaliação de veículos e pesquisa automotiva, fez um levantamento mostrando quais são os carros automáticos mais baratos do Brasil e qual foi a variação de preço deles em um ano.

    Atualmente, algumas dessas versões já podem ser encontradas nas concessionárias custando menos de R$ 90 mil.

    Veículos com o câmbio automático também são mais equipados e com mais itens de série do que a versão manual.

    A pesquisa mostrou ainda que alguns modelos ficaram até 10% mais caro este ano, comparando com o preço que estava sendo vendido em 2022.

    Confira o ranking dos carros automáticos mais baratos do Brasil:

    Quando vale a pena investir em um carro automático?

    O preço é um dos grandes empecilhos para a compra de um carro automático, porém, a diferença com o modelo manual já foi muito maior, explica o economista e consultor do setor automotivo, Paulo Garbossa.

    A diminuição da distância veio com o aumento da produção dos veículos, chegando ao ponto de alguns modelos saírem de fábrica apenas na versão automática.

    “Hoje o consumidor consegue encontrar um carro automático com preços bons, tanto no mercado de novos quanto de seminovos”, destaca.

    Para o especialista, é fundamental observar a diferença no preço: se o modelo automático estiver custando R$ 5 mil a mais da versão manual, a compra não vale a pena.

    “Há modelos em que as versões de câmbios diferentes têm quase o mesmo preço. Neste caso vale a pena investir em um mais moderno. Mas, se ele estiver muito mais caro, a compra deve ser considerada, ou seja, vale procurar outro veículo ou outra marca”, explica.

    Para comprar um carro automático, Garbossa orienta o motorista a fazer uma pesquisa de mercado e desconfiar de preços muito baixos.

    Esta etapa inicial pode ser feita pela tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) — uma das principais referência do mercado automotivo no país, ou em sites voltados ao mercado automotivo.

    Também é preciso atenção com as condições do carro. Neste caso, o ideal é levar um profissional que entenda de câmbio para avaliar a proposta.

    “Se a pessoa compra um carro automático e o câmbio está com algum problema, ele vai ter uma dor de cabeça no futuro. A manutenção é muito mais cara do que um automóvel com câmbio manual”, explica o especialista.

    Assim como outros aspectos do mercado automotivo, há diferentes formas de câmbio automático.

    Milad Kalume Neto, diretor de desenvolvimento de negócios da JATO Dynamics, pontua que no Brasil existem o modelo “automático puro” — desenhado para este formato —, e o “automatizado”, onde a caixa é manual, mas tem comandos que o torna automático.

    O automatizado, também é conhecido como sequencial, demanda mais atenção.

    “Este câmbio costuma apresentar mais problema. A manutenção é mais demorada e ele é mais frágil. Isso acaba trazendo complicação na hora do conserto”, explica Kalume Neto.