Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Basília Rodrigues

    Basília Rodrigues

    Apura e explica. Adora Jornalismo e Direito. Vencedora do Troféu Mulher Imprensa e prêmios Especialistas, Na Telinha e profissionais negros mais admirados

    À CNN, ministro das Cidades afirma que haverá repasse de recursos do PAC para drenagens e encostas no RS

    Jader Filho irá se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto, nesta quinta-feira (2), para detalhar as ações

    À CNN, ministro das Cidades afirma que haverá repasse de recursos do PAC para drenagens e encostas no RS
    À CNN, ministro das Cidades afirma que haverá repasse de recursos do PAC para drenagens e encostas no RS

    O ministro das Cidades, Jader Filho, afirmou à CNN, nesta quarta-feira (1º), que o governo federal fará repasse de recursos para obras de drenagem e encostas no Rio Grande do Sul, como estratégia contra novos desastres. Além disso, a pasta vem auxiliando os moradores com o Minha Casa, Minha Vida Calamidade, na reconstrução de casas atingidas por desastres naturais.

    O ministro irá se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto, nesta quinta-feira (2), para detalhar as ações e os valores que serão direcionados ao estado gaúcho.

    Os recursos para obras estruturantes sairão do PAC Seleções. Há R$ 1,6 milhão para encostas e R$ 4,4 milhões para drenagens, em todo país. Uma parte disso será destinada ao RS.

    “A gente está vendo no Rio Grande do Sul um pouco de cada coisa, mais ainda essa questão de drenagens e encostas. Temos que mitigar os efeitos das mudanças climáticas”, disse o ministro.

    De acordo com Jader Filho, desde 2015 não é feita seleção de projetos para obras em drenagens e encostas no Brasil. “Não pode ficar quase dez anos sem selecionar obras para esses acidentes, precisamos de ações perenes. Essa é uma mudança de rota deste governo: a prevenção, que tem que ser prioridade no país. Os recursos do PAC são um grande indicativo. Precisamos adaptar nossas cidades para o novo normal”, avaliou o ministro.

    FOTOS – Veja imagens das chuvas

    Enquanto o Ministério de Desenvolvimento Regional cuida da reparação de danos após desastres como o que vitimou os gaúchos, é a pasta de Cidades que planeja as ações contra novas tragédias. O ministério selecionou 20 cidades em situação mais crítica no Brasil que devem receber mais recursos do que outros até 2026. A intenção é fechar uma lista maior, com cerca de 60 municípios prioritários para os próximos anos. “As cidades estão sendo destruídas. Não dá para ficar nesse constrói, destrói”, destacou.

    O Minha Casa, Minha Vida Calamidades atualmente atende moradores na região urbana e rural brasileira. No caso do Rio Grande do Sul, 1.600 casas já estão selecionadas para receber recursos, após outros episódios de destruição que também deixaram mortos e perdas materiais. Em setembro de 2023, o estado foi atingido por um ciclone.