Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Basília Rodrigues

    Basília Rodrigues

    Apura e explica. Adora Jornalismo e Direito. Vencedora do Troféu Mulher Imprensa e prêmios Especialistas, Na Telinha e profissionais negros mais admirados

    Conselho Nacional de Políticas Criminais pede informação ao governo do RS sobre inundação em penitenciárias

    Além de familiares, juízes gaúchos de execução penal acionaram o Conselho, que é ligado ao Ministério da Justiça, para alertar sobre a falta de informações

    Conselho Nacional de Políticas Criminais pede informação ao governo do RS sobre inundação em penitenciárias
    Conselho Nacional de Políticas Criminais pede informação ao governo do RS sobre inundação em penitenciárias

    O presidente do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, Douglas Martins, pediu neste sábado (4) informações ao governo do Rio Grande do Sul sobre quais ações estão sendo adotadas em presídios localizados em áreas que estão sendo inundadas.

    À CNN, o juiz afirmou que “em situações como essa, as pessoas que estão presas não podem ser esquecidas. Estamos recebendo várias demandas de parentes de presos preocupados com o risco de alagamento”.

    Além de familiares, juízes gaúchos de execução penal acionaram o Conselho, que é ligado ao Ministério da Justiça, para alertar sobre a falta de informações.

    Em ofício enviado ao governador Eduardo Leite, ao secretário estadual de Sistemas Penal e Socioeducativo, Luiz Henrique Viana e também ao Superintendente dos Serviços Penitenciários local, Mateus Schwartz, o CNPCP presta solidariedade “em razão da notória catástrofe climática” e solicita informações.

    “No ensejo, solicito informações quanto ao plano de contingência para enfrentamento dos efeitos dos eventos climáticos nas áreas onde estão instalados estabelecimentos penais estaduais e às providências que porventura já estejam sendo tomadas em favor das pessoas privadas de liberdade e de servidores locais, que podem estar ou ficar em situação de risco de suas integridades corporais e/ou próprias vidas”.

    A partir dessas resposta, o Conselho não descarta pedir a transferência de presos.