Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Basília Rodrigues

    Basília Rodrigues

    Apura e explica. Adora Jornalismo e Direito. Vencedora do Troféu Mulher Imprensa e prêmios Especialistas, Na Telinha e profissionais negros mais admirados

    Comandante diz que não cabe à Marinha defender Garnier de investigação sobre tentativa de golpe

    Almirante reconheceu que "a Força se ressente" pelo desgaste causado pelo episódio

    Comandante diz que não cabe à Marinha defender Garnier de investigação sobre tentativa de golpe
    Comandante diz que não cabe à Marinha defender Garnier de investigação sobre tentativa de golpe

    O comandante da Marinha, almirante Marcos Olsen, afirmou nesta quinta-feira (22) que não cabe à Força defender o ex-comandante Almir Garnier das acusações de que teria compactuado com a ideia de aplicar uma tentativa de golpe no país.

    Em breve conversa com jornalistas, em que a CNN estava presente, o almirante reconheceu que “a Força se ressente” pelo desgaste causado pelo episódio e fez questão de ressaltar os aspectos institucionais e legais seguidos pela Marinha.

    “Eu me ocupo com as coisas da Força”, disse imediatamente, ao ser perguntado sobre Garnier, que comandou a Marinha no governo Jair Bolsonaro (PL).

    “Nós temos uma missão. O pacifismo unilateral não nos ajuda em nada. A Força coopera com a desenvolvimento nacional, a defesa nacional, são aspectos de mais visibilidade. A minha preocupação é dar significância à garantia da soberania”, afirmou, com tranquilidade.

    “Não cabe à Força fazer a defesa (do ex-comandante). Não entendo isso como competência da Marinha. À medida que a Força se volta pra sua missão constitucional, ela se reafirma. A Força tem mais de 200 anos”, destacou.

    Olsen disse não ter conversado com Garnier sobre o assunto e que desconhece se houve situação em que o ex-comandante tenha tentado se explicar para algum colega de Marinha.