Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Débora Bergamasco

    Débora Bergamasco

    Débora Bergamasco é jornalista, com passagem pelas redações de Estadão, Folha, O Globo, Época, Istoé e SBT

    À CNN, comandante do Exército diz que STF está “totalmente certo” ao rejeitar poder moderador das Forças Armadas

    Ministro da Defesa afirma que a decisão “é a confirmação do óbvio”

    À CNN, comandante do Exército diz que STF está “totalmente certo” ao rejeitar poder moderador das Forças Armadas
    À CNN, comandante do Exército diz que STF está “totalmente certo” ao rejeitar poder moderador das Forças Armadas

    O comandante do Exército, general Tomás Paiva, concorda com o posicionamento do Supremo Tribunal Federal (STF), que formou maioria para rejeitar a interpretação de que as Forças Armadas têm papel moderador sobre os três poderes da República.

    À CNN, o militar foi enfático: “Totalmente! Não há novidade para nós”,

    Tomás Paiva também destacou o trabalho do STF. “Quem interpreta a constituição em última instância é o STF e isso já estava consolidado como o entendimento”, afirmou.

    O ministro da defesa, José Múcio Monteiro, seguiu a mesma linha. Disse à CNN que o posicionamento do STF “é a confirmação do óbvio”.

    A ação em análise foi proposta pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT). O partido questiona os limites para a atuação das Forças Armadas.

    O julgamento é realizado no plenário virtual, no qual os ministros inserem os votos no sistema eletrônico, sem deliberação. Os ministros têm até o próximo dia 8 para depositar os votos.

    O voto acompanhado por todos até aqui é o do ministro relator, Luiz Fux.

    Segundo o magistrado, a Constituição não permite uma intervenção militar constitucional e nem encoraja uma ruptura democrática.

    “A Constituição proclama, logo em seu artigo 1º, que o Brasil é um Estado Democrático de Direito, no âmbito do qual todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos da Constituição”, escreveu.