Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Débora Bergamasco

    Débora Bergamasco

    Débora Bergamasco é jornalista, com passagem pelas redações de Estadão, Folha, O Globo, Época, Istoé e SBT

    Bolsonaro pode ter problemas com a Justiça dos EUA, avaliam investigadores

    Ex-presidente e mais 16 pessoas foram indiciadas nesta terça-feira (19) pela Polícia Federal (PF)

    Bolsonaro pode ter problemas com a Justiça dos EUA, avaliam investigadores
    Bolsonaro pode ter problemas com a Justiça dos EUA, avaliam investigadores

    O relatório final da Polícia Federal (PF) que indiciou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e mais 16 pessoas informa que ainda há uma diligência não concluída.

    Dependendo do resultado, o que vier à tona pode dar ainda mais dor de cabeça para parte dos indiciados.

    No relatório da PF consta a informação de que ainda são esperados dados de auxílio jurídico solicitado junto ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

    De acordo com o documento, essas informações “podem esclarecer se os investigados fizeram uso dos certificados de vacinação ideologicamente falsos quando da entrada e estadia em território norte-americano, podendo configurar novas condutas ilícitas”​.

    No dia 30 de dezembro de 2022, Bolsonaro e o ex-ajudante de ordens Mauro Cid, além de outros acompanhantes, viajaram aos Estados Unidos, país que exigia cartão de vacinação para ingressar no país.

    O advogado Fabio Wajngarten, que integra a defesa do ex-presidente, publicou por meio de uma rede social nota dizendo que “enquanto exercia o cargo de presidente, ele estava completamente dispensado de apresentar qualquer tipo de certificado nas suas viagens”.

    Os dois, no entanto, permaneceram em solo americano mesmo depois de ter vencido o mandato presidencial.

    À CNN, fontes ligadas à investigação afirmam que se cartões fraudados foram usados para nos EUA, Bolsonaro e outros acompanhantes podem ter fraudado o processo migratório norte-americano e poderão, eventualmente, ter que prestar contas à Justiça no exterior.