Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Raquel Landim

    Raquel Landim

    Com passagens pelos principais jornais do país como repórter especial e colunista, recebeu o prêmio “Jornalista Econômico” de 2022 pela Ordem dos Economistas do Brasil

    Decisão do CNJ de punir TRF-4 e “poupar” Appio provoca críticas em Curitiba, dizem fontes

    Corregedor-geral Luis Felipe Salomão afastou os desembargadores Carlos Eduardo Thompson Flores e Loraci Flores de Lima

    Decisão do CNJ de punir TRF-4 e “poupar” Appio provoca críticas em Curitiba, dizem fontes
    Decisão do CNJ de punir TRF-4 e “poupar” Appio provoca críticas em Curitiba, dizem fontes

    A decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de afastar os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), enquanto o juiz Eduardo Appio continua na ativa, está provocando revolta no meio jurídico em Curitiba, apurou a CNN.

    Nesta segunda-feira (15) , o corregedor-geral Luis Felipe Salomão afastou os desembargadores Carlos Eduardo Thompson Flores e Loraci Flores de Lima do TRF-4.

    Salomão considerou que eles descumpriram suas funções ao desrespeitar decisão do ministro Dias Toffoli e utilizar as provas da delação da Odebrecht para julgar impedido o juiz Eduardo Appio.

    Toffoli havia declarado as provas como imprestáveis, apontando contaminação. Na época, Appio era o juiz da 13ª Vara de Curitiba e havia decidido soltar Tacla Duran, um lobista envolvido no caso.

    Já Appio, enfrentava um processo por supostamente gravar o filho de um dos desembargadores do TRF-4, ligado ao senador Sergio Moro. Ele admitiu conduta “imprópria” e fechou um acordo com o CNJ, que arquivou seu caso. Appio pediu transferência para uma vara previdenciária e segue atuando.

    Fontes do meio jurídico em Curitiba reclamam da disparidade de tratamento, conforme apurou a reportagem. Procurado, o ministro Luis Felipe Salomão não se manifestou.