Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Victor Irajá
    Blog

    Victor Irajá

    Com passagens por Estadão e rádio CBN, foi editor do Radar Econômico, da revista Veja. É especializado em Economia pela FGV e pelo Insper

    Mercado pressiona Fazenda para ter projeções de chuva no RS no PIB

    Ministério da Fazenda reluta em realizar levantamentos sem dados concretos, já que representariam projeções oficiais do governo

    Sede do Ministério da Fazenda em Brasília
    Sede do Ministério da Fazenda em Brasília 14/02/2023. REUTERS/Adriano Machado

    Técnicos do Ministério da Fazenda, de Fernando Haddad, foram pressionados para realizar projeções relacionadas aos impactos da tragédia causada pelas chuvas no Rio Grande do Sul no crescimento econômico.

    A pasta resistiu por ainda não ter dados consistentes.

    Membros do mercado financeiro procuraram os principais assessores do ministro para cobrar a publicação de projeções envolvendo o desastre ambiental.

    São esperados impactos na produção e no comércio local, por exemplo.

    A pasta respondeu que não poderia realizar os levantamentos sem os dados concretos sobre os impactos, principalmente sobre a produção agrícola ou o comércio na região.

    O argumento é de que o governo não poderia fazer como o mercado financeiro e os bancos, que já desenham suas projeções.

    Internamente, foi interpretado que qualquer projeção sem dados concretos acarretariam em irresponsabilidade por parte do Ministério da Fazenda, e seria apontada como um dado oficial — projeções oficiais vindas do governo.

    O Produto Interno Bruto (PIB) do 1º trimestre de 2024 teve alta de 0,8% e não contabilizou, por óbvio, o impacto das chuvas no Rio Grande do Sul — que começaram em maio.