Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Victor Irajá
    Blog

    Victor Irajá

    Com passagens por Estadão e rádio CBN, foi editor do Radar Econômico, da revista Veja. É especializado em Economia pela FGV e pelo Insper

    Aliados veem qualidades em Padilha e culpam orçamento secreto na gestão Bolsonaro por dificuldade na articulação

    Leitura é de que há menor dependência do Legislativo em relação ao Executivo desde que Lula governou pela última vez

    Ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Alexandre Padilha
    Ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Alexandre Padilha 09/05/2024 - Marcos Oliveira/Agência Senado

    Depois da série de derrotas no Congresso Nacional, importantes aliados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva continuam a defender a atuação do ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, à frente da articulação política do governo.

    De acordo com aliados de Lula, Padilha foi prejudicado pela mudança nas relações com o Legislativo desde a gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro e a instituição do Orçamento Secreto.

    A leitura sobre o empoderamento da Câmara dos Deputados e do Senado Federal envolve a falta de dependência do Congresso em relação a cargos e emendas.

    O Legislativo estaria muito mais forte e independente do que nas primeiras gestões de Lula, entre 2003 e 2011.

    Segundo essas fontes, não haveria, portanto, a necessidade de troca dos personagens responsáveis pela articulação política do governo.

    Padilha, aliás, teria — na leitura desses aliados — predicados e qualidades que chancelariam sua manutenção no cargo, o que explica a chancela de Lula em relação à concessão de maior poderio a Padilha na liberação de emendas.

    A CNN solicitou à assessoria do ex-presidente Jair Bolsonaro um posicionamento sobre as críticas de que o orçamento secreto trouxe dificuldades na articulação com o Legislativo, mas até o momento não houve retorno.