Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    MRV

    Conteúdo patrocinado

    Conteúdo Patrocinado é o espaço para as marcas se comunicarem com o público.

    MRV

    7 mitos e verdades sobre o Câncer de Pele

    Derrubar tabus é o melhor caminho para prevenir a doença. Confira aqui o que é fato ou fake e invista na proteção que realmente funciona

     

    Você sabia que a cada três tumores malignos registrados no Brasil um é câncer de pele? Para se ter uma ideia, são mais de 220 mil novos casos por ano e a maioria em homens. Infelizmente 4 em cada 5 homens não usam o protetor solar, o grande aliado na prevenção da doença.

    Para virar esse jogo, é essencial derrubar tabus e estar bem informado. Confira aqui os principais mitos e verdades sobre o Câncer de Pele, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

     

    • Tenho que tomar cuidado com o sol apenas em momentos de lazer.

    MITO. Cerca de 70% da radiação solar que recebemos durante a vida é adquirida no dia a dia. Somente 30% é o impacto dos raios UVA e UVB em momentos de lazer, como praia e piscina.

    Quem trabalha ao ar livre, principalmente, corre ainda mais riscos. Ciente de que seus trabalhadores dos canteiros de obra estão expostos, e muito, à radiação solar,  a Construtora MRV se uniu à Sociedade Brasileira de Dermatologia na campanha Dezembro Laranja, mês de conscientização sobre o câncer de pele, para despertar a atenção sobre a doença e, principalmente, sobre a importância e as formas de proteção,  “O nosso objetivo é alcançar os operários da construção civil e outros profissionais que trabalham ao ar livre, além de toda a sociedade, com dicas de cuidado e informações sobre perigos da exposição solar sem proteção”, conta Rafael Lafetá (VP de Sustentabilidade da MRV). A iniciativa inclui, ainda, a distribuição de protetor solar para os operários, palestras e consultas com dermatologistas e distribuição de material educativo com aprovação da SBD.

     

    • Todos os tipos de pele podem desenvolver câncer

    VERDADE. As pessoas de pele clara, que se queimam com facilidade ao se expor ao sol, têm maior risco de desenvolver o câncer de pele. Porém, negros e asiáticos também podem ter a doença. Por isso, fique atento. O primeiro sinal que você exagerou na exposição solar é o aumento da temperatura da pele e, posteriormente, sua vermelhidão. Evite ao máximo essas reações.

     

    • Não consigo analisar riscos de câncer de pele no dia a dia.

    MITO. É possível fazer um autoexame em casa, para identificar possíveis riscos de câncer de pele. Batizado como ABCDE, é indicado para reconhecer, principalmente, casos de melanoma. Ele leva em consideração a assimetria (uma metade do sinal é diferente da outra), bordas (irregulares ou serrilhadas), coloração (presença de duas ou mais cores no sinal), diâmetro (sinal com mais de 6 mm de espessura) e evolução da pinta (lesões que mudam de cor, formato ou tamanho). Então, atenção: se observar qualquer lesão suspeita, que sangra, coça, incomoda ou aumenta de tamanho, procure um dermatologista para análise clínica e laboratorial.

     

    • Câncer de pele pode aparecer em áreas menos expostas do corpo.

    VERDADE. De fato, é mais comum achar o câncer de pele em áreas expostas ao sol, como face, orelhas, pescoço, ombros, costas, lábios, pernas e tronco. Porém, ele também pode surgir em qualquer região do corpo, como palmas das mãos, planta dos pés, unhas, couro cabeludo e, até mesmo, em regiões íntimas.

     

    • O câncer de pele é raro, não devo me preocupar.

    MITO. O câncer de pele é o mais comum em seres humanos, com mais de 2 milhões de casos previstos no mundo, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS). Representa 30% dos tumores malignos registrados no Brasil, com mais de 180 mil novos casos anuais, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

     

    • Qualquer protetor solar ajuda na prevenção do câncer de pele.

    DEPENDE. Usar protetor diariamente é essencial para assegurar a saúde da pele em relação à exposição solar. Porém, é indispensável que ele seja de FPS 30 ou maior. Com o desenvolvimento tecnológico das fórmulas, atualmente, é possível achar filtros que combinam com todos os tipos de pele. Para pessoas com pele oleosa, por exemplo, ele deve ter uma textura mais fluida, livre de óleos e conter ativos que ajudem a controlar o brilho, como o “efeito matte” ou “toque seco”.

    • O uso de protetor solar não é necessário nos dias frios ou nublados.

    MITO. O filtro solar deve ser usado diariamente, mesmo quando o tempo estiver frio ou nublado, pois a radiação UV atravessa as nuvens. Em países tropicais como o Brasil, os índices de radiação UVA e UVB são elevados em qualquer época do ano, e a aplicação do produto é fundamental para proteger contra o câncer da pele.

     

    • Qualquer quantidade de protetor aplicado na pele já funciona.

    MITO. É necessário aplicar 2g/cm2 de protetor solar na pele para atingir a proteção solar descrita na embalagem do dermocosmético. Uma forma fácil de medir é utilizando a regra da colher de chá – uma colher de chá para cobrir rosto, cabeça e pescoço, uma para cada braço, duas para o tronco e duas para cada perna.  A primeira aplicação deve ser feita pelo menos 15 minutos antes da exposição solar, de preferência sem roupa e com a maior quantidade possível. Também é necessário aplicar o produto novamente a cada duas horas ou após suar, tomar banho de piscina ou mar.