Branded Content

Amazônia+21 será apresentada para o mundo na Expo 2020 Dubai

Sustentabilidade é a palavra de ordem e permeia todos os setores da Expo 2020 Dubai e da economia mundial. E a Amazônia pode se tornar um dos maiores polos de negócios sustentáveis do planeta e da economia verde brasileira.

Expo Dubai

Ouvir notícia

No dia 15 de novembro ocorreu o Invest in Brazil Forum na Expo 2020 Dubai. Com as presenças do Presidente Jair Bolsonaro, Ministros do Estado e autoridades brasileiras, além de representantes de diversas áreas do setor privado, foram apresentadas oportunidades de investimentos em nosso país.

O Instituto Amazônia+21, iniciativa da CNI, em articulação com as federações estaduais da indústria dos nove estados amazônicos, será apresentado para uma plateia de investidores árabes na parte da tarde.

Totalmente dentro das práticas ESG (Environmental, Social and Governance), em português: Ambiental, Social e Governança, a Instituição ofereceram modelos de negócios pautados na sustentabilidade e na responsabilidade social.

Aberta a todos os segmentos produtivos, dos serviços aos agronegócios, promoveu negócios sustentáveis com soluções tecnológicas e inovadoras adequadas ao bioma amazônico, conectando grandes empresas e investidores com linhas de crédito ESG a empresas locais – grandes, médias e pequenas – e empreendimentos sustentáveis já instalados na Amazônia, envolvendo suas cadeias produtivas, comunidades e populações tradicionais.

A preocupação com uma economia sustentável tem se desdobrado em projetos de produção de biogás, monetização de ativos florestais e recuperação de áreas degradadas.

“A proposta do Instituto Amazônia+21 é uma agenda de negócios com foco na promoção de negócios de alto impacto inovadores orientados pelos princípios ESG. É uma reafirmação do compromisso da indústria brasileira de que a Amazônia merece ser respeitada e precisa de um novo olhar. Não é um olhar de tutela, mas é um olhar de oportunidades”, afirmou o Presidente do Conselho de Meio Ambiente e Sustentabilidade da CNI e do Instituto Amazônia+21, Marcelo Thomé.

Na data, o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, também fez uma apresentação sobre as iniciativas da indústria pela sustentabilidade e as boas práticas na transição para uma economia de baixo carbono, com base em quatro pilares: transição energética, precificação do carbono, economia circular e conservação florestal.

O Brasil assumiu compromissos firmes de redução de emissão de gases de efeito estufa e tem potencial para tornar-se protagonista em economia verde.  O país tem a matriz energética mais limpa do mundo, alta produção dos biocombustíveis e uma legislação ambiental detalhada e rigorosa.

A pauta que foi apresentada e discutida sobre o Instituto Amazônia+21 conectou governos, empreendedores, cientistas, pesquisadores, setor produtivo, investidores e toda a sociedade para criar um ambiente contínuo de conscientização e mobilização para o futuro da Amazônia, capaz de fomentar negócios inovadores para o desenvolvimento sustentável de toda região.

Mais Recentes da CNN