Branded Content

IBM, a potência tecnológica por trás dos negócios e inovações das empresas

Nuvem híbrida, inteligência artificial e segurança cibernética impulsionam a transformação dos negócios da indústria e de empresas de todos os tamanhos e segmentos. O mundo mudou e quem não acompanhar essa mudança para atender as necessidades da sociedade e do mercado, corre um sério risco de ficar obsoleto.

Marcelo Braga

Ouvir notícia

Fazer uma compra em um marketplace, realizar uma transferência bancária, trabalhar remotamente e até mesmo tirar dúvidas ou resolver problemas no atendimento ao cliente. Esses são apenas alguns exemplos de onde a tecnologia IBM é utilizada diariamente.

Facilidades nos mais variados produtos e serviços passa por inovações tecnológicas por trás que fazem tudo isso acontecer.

“A IBM é um meio para que empresas de todos os segmentos e o governo possam inovar, produzir coisas diferentes e ofertar os melhores produtos e serviços para os seus clientes. Temos menos a marca IBM na ponta, mas um orgulho enorme de participar do dia a dia de tantas pessoas, mesmo sem elas saberem de forma direta.” aponta Marcelo Braga, Presidente e Líder de Tecnologia da IBM Brasil.

O universo da tecnologia já vinha transformando os negócios há muitos anos, mas foi durante a pandemia da Covid-19 que houve a aceleração da transformação digital. As empresas que tinham investido em projetos, que na época eram chamados de inovação, tornaram-se projetos de sobrevivência.

Uma das tecnologias que mais impulsionou essa onda foi a nuvem híbrida, atualmente a arquitetura de TI dominante.

Líderes de negócios no Brasil declararam o fim da era de um único provedor de nuvem. De acordo com o estudo global da IBM de 2021 sobre a transformação da nuvem, houve uma mudança drástica nas necessidades de negócios – apenas 5% dos entrevistados relataram usar apenas uma nuvem, pública ou privada, em comparação com o ano anterior, que era 45%.

A nuvem híbrida, que é uma coexistência entre a nuvem privada e a nuvem pública, traz uma nova forma de consumo de tecnologia, com mais agilidade, facilidade, inovação, capacidade de armazenamento e processamento.

Numa plataforma única, a IBM permite que os clientes escolham rodar um determinado sistema na nuvem pública ou privada, ou nos dois ao mesmo tempo. Por isso, a grande maioria opta pela estratégia de nuvem híbrida aberta e múltipla, para ter a liberdade de explorar o que há de melhor nas nuvens públicas e atender as necessidades específicas usando nuvens privadas.

Outro estouro de consumo tecnológico é o da Inteligência Artificial.  O Watson, presente no Brasil há quase sete anos, é a plataforma aberta e multicloud que permite automatizar o ciclo de vida de IA e que possui a tecnologia inovadora mais recente de machine learning, ou seja, quanto mais se usa, melhor ele fica.

O Watson tem uma capacidade de desambiguação acima da média, compreende exatamente o que a pessoa quer dizer. Por entender o contexto, e não apenas palavras, cria soluções humanizadas e não robotizadas. Aprende a linguagem, gírias, sotaques e consegue fazer uma análise sofisticada do que a pessoa está sentindo, percepções como ironia, aborrecimento ou alegria. Isso faz toda a diferença e traz uma satisfação muito grande no atendimento ao cliente.

A Bia (Bradesco Inteligência Artificial) foi o primeiro caso do Watson aqui no Brasil. No ar desde 2016, já ajudou milhões de pessoas e tem grande relevância por mudar a forma de trabalho e os hábitos de consumo dos clientes do banco.

“Aqui entra um contexto de uma oportunidade de negócio fantástica de automação, inovação, redução de custos, de resolver o problema do cliente de forma mais rápida e fácil, no lugar que ele quiser: chat, app, internet – multicanais. Sempre de uma forma ética, explicável, auditável e que siga toda a regulamentação de uso de dados imposta pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) aqui no país. É acelerar muito, mas sempre com controle.” complementa Marcelo Braga.

E com toda a transformação tecnológica, surgem novas preocupações, como os ciberataques. A facilidade, a conveniência e o dinamismo do mundo hiperconectado potencializou as preocupações, a fragilidade e a segurança em qualquer empresa. Por isso, toda solução digital só é possível quando está alinhada com estratégias de segurança, área extremamente importante no portfólio da IBM.

Prestes a completar 105 anos no Brasil, a IBM está em constante adaptação para manter o protagonismo neste mercado tão competitivo. Acredita que trabalhar a diversidade e inclusão desde sua fundação e estar alinhada às práticas ESG trazem uma potencialidade muito maior de inovação. Além disso, tem um plano global para capacitar 30 milhões de pessoas até 2030, principalmente para atrair cada vez mais jovens e mulheres para o mundo de exatas.

Entende que para criar tecnologias que possam mudar o mundo, é importante se aliar a outras empresas, a todo o ecossistema. O Let’s Create une o cliente (com um problema real), grandes players de tecnologia, criatividade, empreendedorismo e a experiência e amplitude da IBM. Juntos, conseguem criar soluções com relevância para o mercado e para a sociedade.

“Nós acreditamos que as coisas só acontecem, que causam impacto de verdade, quando se une tecnologia, talento, diversidade e confiança. Quando esses quatro pilares se combinam vêm a explosão da inovação. O Let’s Create vem exatamente deste entendimento. Essa configuração de soluções não seria possível se trabalhássemos de forma independente. O nosso objetivo é criar soluções para tornar o mundo um lugar melhor.” finaliza Braga.

Mais Recentes da CNN