Ações da XP caem 13% nos EUA com dúvidas sobre transparência


Do CNN Brasil Business, em São Paulo
06 de março de 2020 às 19:12 | Atualizado 15 de março de 2020 às 16:59

As ações da XP Investimentos listadas na Nasdaq, nos Estados Unidos, fecharam em baixa de 13,34%, a US$ 30,99, nesta sexta-feira (6), dia em que a empresa de investimentos The Winkler Group divulgou um relatório que questiona a precisão de dados corretora brasileira.     

A XP abriu o capital financeiro no dia 13 de dezembro de 2019, em uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) que movimentou US$ 1,96 bilhão. Três meses depois, hoje, a Winkler divulgou o documento que coloca em dúvida alguns dados financeiros da corretora brasileira. 

Entre outros pontos, a companhia americana acusa a existência de "discrepâncias significativas" entre auditorias internas da XP e demonstrações financeiras fornecidas aos investidores em seu prospecto de abertura de capital. 

"Os investidores têm o direito de confiar em documentos de ofertas precisos ao decidir investir em uma nova empresa. Essas alegações são muito preocupantes", afirmou, em comunicado, Mark Delaney, advogado da Block & Levittion, escritório responsável por uma investigação contra a XP. 

O relatório da Winkler também afirma que a XP demitiu um auditor depois de ter descoberto deficiências nos controles internos da empresa. Procurada, a XP disse que acompanha o tema, mas que não tem uma posição oficial a respeito. 

Operadores trabalham em escritórios da XP Investimentos, em São Paulo

Operadores trabalham em escritórios da XP Investimentos, em São Paulo

Foto: Paulo Whitaker / Reuters (10.set.2015)