Preços do petróleo caem após plano saudita de ampliar capacidade de produção


Reuters
11 de março de 2020 às 09:11 | Atualizado 15 de março de 2020 às 13:20

Os preços do petróleo caíam nesta quarta-feira (11) pressionados por planos da Arábia Saudita para ampliar a capacidade de produção pela primeira vez em mais de uma década e pela demanda enfraquecida devido ao coronavírus.

saudi aramco

Estatal saudita decide aumentar a produção mesmo com redução de demanda (12.out.2019)

Foto: Maxim Shemetov/File Photo/Reuters

O petróleo Brent recuava US$ 1,2, ou 3,22%, a US$ 36,02 por barril, às 8:45 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía US$ 1,09, ou 3,17%, a US$ 33,27 por barril.

Depois do colapso de cortes coordenados de oferta por Arábia Saudita, Rússia e outros, o governo saudita determinou à petroleira Saudi Aramco que amplie sua capacidade de produção para 13 milhões de barris por dia, ante 12 milhões de bpd atuais.

"A estratégia de 'choque e terror' saudita sugere a nós que, para levar a Rússia de volta à mesa de negociações, ela fala sério sobre causar severas dores a todos produtores de petróleo em termos de preço e receitas", escreveram analistas do UBS em nota.

"Estoques mais elevados do petróleo deverão provavelmente pesar sobre os preços nos próximos meses."

O ministro de Energia russo, Alexander Novak, disse que os planos sauditas de elevar a produção "provavelmente não são a melhor opção", acrescentando que o governo da Rússia fez diversas ligações a países da Opep e outros, mas que nenhum parceiro aceitou sua proposta.

A Rússia defendeu que os cortes de oferta de petróleo de um acordo anterior da Opep+ fossem mantidos inalterados.