Coronavírus: para lidar com alta demanda, Amazon contratará 100 mil funcionários


Do CNN Brasil Business, em São Paulo
17 de março de 2020 às 08:53 | Atualizado 17 de março de 2020 às 09:17
Caixa de encomenda da Amazon

Caixa de encomenda da Amazon (29.JAN.2016)

Foto: Mike Segar/REUTERS

Como efeito do coronavírus, a gigante Amazon.com informou, na segunda-feira (16), que aumentará seu corpo de funcionários. A empresa contratará cerca de 100 mil funcionários para amarzéns e pontos de entrega de produtos nos Estados Unidos. O motivo? Aumento da demanda de pedidos online recebidos pela companhia, diante do pânico em torno da pandemia. 

Por meio do blog corporativo Day One, a Amazon afirmou que "nota um aumento significativo na demanda de produtos, fazendo com que a necessidade de mão de obra esteja em um patamar sem precedentes para esta época do ano."

Além de investir no número de funcionários, a companhia também investirá US$ 350 milhões para aumentar os pagamentos a esses funcionários em US$ 2 a hora, nos EUA e no Canadá. Para o Reino Unido, o reajuste será de £ 2. Já na União Europeia,  a empresa vai pagar cerca de € 2 a mais. Atualmente, a varejista paga US$ 15 a hora para trabalhadores de seus centros de distribuição de produtos nos EUA.

O anúncio de novas vagas e investimento milionário fez com que os papeis da Amazon ganhassem fôlego nesta terça (17). Nó pré-mercado da Nasdaq, as ações registravam alta de 3,60% às 9h01, ante a queda de 5,37%, registrada no dia anterior - em linha com as baixas do mercado.  

(Com Reuters)