Veja como os principais bancos do país vão funcionar em tempos de coronavírus


Paula Bezerra do CNN Business, em São Paulo
20 de março de 2020 às 17:52 | Atualizado 23 de março de 2020 às 16:05
Funcionários de banco em Porto Alegre usam máscaras

Funcionários de banco em Porto Alegre usam máscaras enquanto conversam com cliente em meio à pandemia de coronavírus

Foto: Diego Vara - 19.mar.2020/ Reuters

Os efeitos da pandemia do coronavírus têm se intensificado no Brasil, deixando a economia em estado de alerta. Atualmente, o país conta com mais de 900 casos de pessoas infectadas e 11 mortes. Para tentar conter o avanço da doença, regiões mais afetadas já adotaram o fechamento de estabelecimentos comerciais. 

Diante deste cenário, fica a dúvida se os bancos também fecharão. Eles são importantes para dar a dinamizada necessária em uma economia que deve ficar praticamente paralisada. Afinal, os bancos também fecharão? Trabalharão em horários reduzidos? Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a informação mais importante é: o atendimento bancário está garantido a todos. 

Por meio de nota, a instituição informou que, por orientação do Banco Central, os bancos poderão, por um período limitado, alterar horários de atendimento ou suspender serviços em agências selecionadas. Em caso de suspensão de atividade, a instituição deverá informar os clientes, além de indicar uma alternativa para a prestação do serviço.  

Para entender como os principais bancos do país se adequarão ao momento, CNN Brasil Business entrou em contato com as principais instituições do país. Confira, a seguir, como as agências do Santander, Caixa Econômica Federal, Itaú e Bradesco vão atender a população durante o ápice do coronavírus: 

Santander

A partir do dia 24/03, o Santander interromperá as atividades em parte das agências situadas nas regiões metropolitanas de São Paulo e do Rio de Janeiro. 

O horário de funcionamento das agências em todo o país será reduzido das 10h às 14h. Já as agências com maior concentração de pensionistas e clientes idosos poderão realizar o atendimento deste grupo das 09h às 10h. 

Além disso, haverá escalonamento na entrada de clientes nos estabelecimentos. De acordo com o Santander, eles serão divididos em grupos de 10 a 20 pessoas por vez, a fim de evitar um grande número de pessoas dentro de um ambiente fechado.

Caixa Econômica Federal

Em nota, a Caixa Econômica Federal afirmou que o banco orienta que, se possível, os clientes optem pelos canais digitais, como o Internet Banking, app para sacar o FGTS, Caixa Trabalhador, entre outros. O objetivo é evitar a exposição em agências e casas lotéricas. 

Caso o atendimento presencial seja a única opção, o banco passou a adotar um horário diferenciado para receber o chamado "grupo de risco" - pessoas que são mais vulneráveis à doença, como idosos. Além disso, as agências já iniciaram um gerenciamento de filas e distribuição de senhas para agilizar o atendimento. 

O acesso da entrada e saída de clientes em agências também está sendo controlado. O fluxo será limitado a, no máximo, 50% da capacidade dos assentos de cada unidade. 

Caso alguma agência seja fechada, a Caixa fornecerá o número de celular para que os clientes consigam entrar em contato com os gerentes das unidades via WhatsApp. 

Para saber mais detalhes sobre as unidades que atenderão em horários diferenciados, a Caixa disponibilizou um documento que pode ser acessado online.

Itaú 

Diante da pandemia, o banco Itaú poderá reduzir o horário de funcionamento de suas agências. De acordo com a instituição, a medida será adotada em todas as agências. Até o fechamento da reportagem, o banco não havia definido quais seriam os novos horários. 

Outra medida adotada pela instituição é o revezamento de funcionários nas agências. O objetivo é manter o quadro mínimo para atendimento ao público, limitado a 50% das equipes de cada unidade. 

Assim como as demais instituições, o Itaú limitará o fluxo de clientes no local, com atendimento de, no máximo, 10 pessoas por agência. 

Bradesco

Assim como a Caixa, o Bradesco orienta que, sempre que possível, os clientes utilizem as plataformas digitais. Caso não seja possível, na rede física, os gerentes foram orientados a organizar o atendimento nos momentos de maior concentração, para evitar risco de propagação - e o contato entre um grande número de pessoas. 

Segundo a instituição, por enquanto, nenhuma agência terá a atividade interrompida ou horário diferenciado.

Banco do Brasil

Em nota, o Banco do Brasil informou que as agências e salas de autoatendimento continuarão abertas. Os estabelecimentos operam em regime de contigência, respeitando as normas sanitárias de restrição de número de pessoas nas dependências.

Além disso, o atendimento remoto está disponível por meio do aplicativo BB, portal do BB, e pelo Central de Atendimento BB (0800-729-0001)