BNDES negocia pacote para aéreas, turismo, bares, restaurantes e prefeituras


Raquel Landim
Por Raquel Landim, CNN  
22 de Março de 2020 às 19:16 | Atualizado 22 de Março de 2020 às 19:35
BNDES Logo

Prédio do BNDES no Rio de Janeiro (8.Jan.2019)

Foto: Sérgio Moraes/Reuters

O BNDES negocia pacotes de apoio às companhias aéreas, aos bares e restaurantes, ao turismo e a prefeituras e Estados. A informação foi passada pelo presidente do banco, Gustavo Montezano, durante coletiva de imprensa. O objetivo é minimizar o impacto do novo coronavírus na economia.

As medidas setoriais ainda estão em avaliação e discussão com os setores envolvidos e devem ser anunciadas nas próximas semanas.

“Não é um resgate e não estamos escolhendo campeões nacionais”, disse Montezano, tentando se distanciar de eventuais críticas de que pacotes setoriais são semelhantes a políticas adotadas pelos governos do PT.

Neste domingo (23), o banco anunciou quatro medidas “transversais” para ajudar qualquer empresa. Essas medidas representam uma injeção de R$ 55 bilhões na economia.

A primeira é o repasse de R$ 20 bilhões do PIS/Pasep para o FGTS. A medida não é nova e já estava prevista em pacote anunciado na semana passada pelo ministério da Economia.

A segunda e a terceira medidas são adiamentos por seis meses de pagamentos de dívidas com o BNDES: R$ 19 bilhões para operações diretas e R$ 11 bilhões para operações indiretas.

E a última é uma nova linha de crédito de R$ 5 bilhões para pequenas e médias empresas. Na avaliação de empresários ouvidos pela coluna, apenas essa medida representa “dinheiro novo”.