Goldman Sachs vê queda de 25% em dividendos de empresas do S&P 500 em 2020

Setores pagadores de dividendos são particularmente vulneráveis ao impacto econômico causado pela pandemia de coronavírus, aponta banco

Reuters
30 de março de 2020 às 10:19
Muitas empresas provavelmente não tomarão empréstimos para financiar seus dividendos, diz Goldman Sachs
Foto: David Gray/Reuters

O Goldman Sachs disse nesta segunda-feira (30) que espera que os dividendos das empresas do S&P 500 caiam 25% em 2020, conforme certos setores pagadores de dividendos são particularmente vulneráveis ao impacto econômico causado pela pandemia de coronavírus.

O S&P 500 é o principal índice de ações da Bolsa de Nova York, um termômetro para o mercado norte-americano. Já o dividendo é uma fatia do lucro que as empresas de capital aberto repartem periodicamente com seus acionistas

Leia mais: Mesmo em queda, ações podem pagar dividendos. Saiba em que setores apostar

"A máxima recorde de alavancagem líquida da ação do S&P 500 na mediana, juntamente com o estresse contínuo do mercado de crédito, significa que muitas empresas provavelmente não tomarão empréstimos para financiar seus dividendos", disse o Goldman em nota.

O banco de investimento dos EUA disse que espera que uma série de dividendos seja suspensa, cortada e descartada ao longo do ano.