Alta demanda faz Amazon alterar horário de lojas e contratar 75 mil pessoas


Do CNN Brasil Business*, em São Paulo
13 de abril de 2020 às 12:35 | Atualizado 13 de abril de 2020 às 16:08
Caixa de encomenda da Amazon

Caixa de encomenda da Amazon (29.JAN.2016)

Foto: Mike Segar/REUTERS

A Amazon afirmou nesta segunda-feira que vai contratar 75 mil funcionários para empregos em áreas como centros de distribuição e logística para enfrentar o aumento na demanda gerado pelo isolamento social. O aumento na procura por compras online também levou a companhia a reduzir o horário de compras em algumas lojas da rede de mercados Whole Foods, nos Estados Unidos, para priorizar pedidos de clientes existentes. Novos clientes serão encaminhados a uma lista de espera.

A companhia de comércio eletrônico enfrenta a tarefa de contratar mais pessoal apesar do aumento nos pedidos para fechar suas instalações. A empresa, que registrou casos de coronavírus entre funcionários de galpões de produtos e enfrentou vários protestos, afirmou que vai realizar checagens de temperatura e fornecer máscaras para todos os funcionários em centros de distribuição nos Estados Unidos e Europa.

A Amazon afirmou nesta segunda-feira que preencheu todas as 100 mil vagas que tinha aberto anteriormente e que os 75 mil novos postos são adicionais às contratações anteriores.

A companhia afirmou que espera gastar mais de US$ 500 milhões globalmente em aumentos salariais para funcionários durante a pandemia, alta ante a estimativa anterior de US$ 350 milhões.

O número de funcionários da Amazon flutua de acordo com a temporada, tendo recentemente alcançado pico de 798 mil no final do ano passado, antes de ter anunciado a contratação de mais 100 mil trabalhadores após o início da pandemia.

Lista de espera no supermercado

Na rede de mercados Whole Foods, muitos consumidores que recentemente procuravam comprar mantimentos descobriram que não podiam fazer pedidos devido à falta de vagas disponíveis. A Amazon disse que teria que colocar todos os novos clientes de supermercado online em uma lista de espera a partir desta segunda-feira, enquanto trabalha para aumentar a capacidade semanalmente.

Atualmente, a Amazon administra 487 lojas Whole Foods nos Estados Unidos. Nas últimas semanas, a empresa aumentou o número de lojas da Whole Foods que oferecem coleta de compras para mais de 150 locais, acima das 80 anteriormente.

Amazon também planeja reduzir o horário de algumas lojas da Whole Foods para o público, para que seus funcionários possam atender mais rapidamente pedidos de compras online, disse a empresa.

As medidas ilustram como o maior varejista online do mundo, que mostrou sua ambição de entrar no setor de compras ao adquirir a Whole Foods por US$ 13,7 bilhões em agosto de 2017, agora está ampliando presença online e em lojas físicas para atender à alta na demanda de consumidores afetados pelas medidas de confinamento decretadas por autoridades após a epidemia de Covid-19.

A Amazon disse que sua capacidade de pedidos de compras online aumentou mais de 60% durante a epidemia. Internautas, porém, reclamam em mídias sociais sobre escassez de janelas de entrega.

A empresa disse que está contratando mais funcionários para expandir a capacidade e que planeja lançar um novo recurso que ajudará os clientes a garantir um "lugar na fila" virtual para distribuir as janelas de entrega por ordem de chegada. Também ofereceu salários mais altos para incentivar funcionários de centros de distribuição a trabalharem para o serviço de entrega de mercadorias.

A primeira loja da tão esperada nova cadeia de supermercados da Amazon, que estava programada para abrir este ano em Woodland Hills, Los Angeles, foi temporariamente transformada em um depósito de pedidos online, informou a empresa.

*Com informações da Reuters