Mais 5,2 milhões pedem auxílio-desemprego nos EUA; em um mês foram 22 milhões

Pandemia do novo coronavírus já deixou 13,5% da mão de obra do país desempregada

Da CNN, em São Paulo
16 de abril de 2020 às 12:30 | Atualizado 16 de abril de 2020 às 12:41
Desempregados aguardam em fila para solicitar benefício no Arkansas, EUA
Foto: Nick Oxford - 04.abr.2020/ Reuters

Mais 5,2 milhões de norte-americanos solicitaram auxílio-desemprego na semana passada, elevando o total de pedidos pelo benefício no último mês para acima de 20 milhões, o que destaca a profunda crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus.

O Departamento do Trabalho dos Estados Unidos informou nesta quinta-feira (16) que 5,24 milhões de novas reivindicações de auxílio-desemprego foram registradas na semana passada, abaixo dos 6,61 milhões da semana anterior.

O acumulado das últimas quatro semanas chegou a 22 milhões de pessoas, aproximadamente 13,5% da mão de obra no país. A crise atual é a mais grave já registrada pelo Departamento do Trabalho desde a sua criação, em 1967.

Assista e leia também:
Análise: negros e latinos são os mais afetados pelo desemprego nos EUA. Por quê?
Análise: como a alta do desemprego pode afetar Trump e as eleições de 2020

De acordo com uma pesquisa da agência de notícias Reuters com economistas, esperava-se que os pedidos iniciais caíssem para 5,10 milhões na semana encerrada em 11 de abril. As estimativas do levantamento, entretanto, chegaram a até 8 milhões.

(Com Reuters)