Serviços essenciais, farmácias e mercados têm aumento de 14,6% de vendas

IBGE ainda mostra que as vendas de setores condicionados a visita às lojas pelo clientes caíram, como livrarias, móveis e eletrônicos

Da CNN, em São Paulo
14 de maio de 2020 às 04:09

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje dados de consumo no Brasil no último mês de abril, e como era de se esperar, praticamente todos os setores tiveram queda de vendas, salvo dois: mercados e farmácias.

Considerados serviços essenciais, os setores foram os únicos que registraram números positivos em abril, e fecharam o mês com alta de vendas de 14,6%. Segundo Victor Vidal Velho, economista da LCA Consultores, o setor salvou o varejo ampliado brasileiro - que inclui a venda de automóveis e materiais de construção - que em abril acumulou queda de 13,7% em comparação com fevereiro.

“Os números poderiam ser ainda piores se não fossem as vendas de supermercados, especialmente porque no início da quarentena houve certa corrida às compras”, explica o economista.

Já as vendas de setores condicionados a visita às lojas pelo clientes caíram, como livrarias (queda de 36,1% na comparação com fevereiro) e móveis e eletrônicos, que viram suas vendas retraíram 25,9% em comparação com fevereiro deste ano.