Preço do petróleo cai 4% sob tensão entre EUA e China e dúvidas sobre demanda

Ameaças entre as duas maiores economias do mundo foram retomadas, após China anunciar nova lei de segurança nacional

Reuters
22 de maio de 2020 às 10:50 | Atualizado 22 de maio de 2020 às 10:51
Plataformas de petróleo 
Foto: Reprodução/Agência Brasil

Depois de uma recuperação na véspera, o petróleo voltou a cair nesta sexta-feira (22), mediante o aumento de tensões entre Estados Unidos (EUA) e China — além de dúvidas sobre o ritmo de recuperação da demanda por combustível, devido à crise do coronavírus. O Brent, referência global, chegou a despencar cerca de 4% para aproximadamente US$ 34,50 por barril.

A China deve impor nova legislação de segurança nacional a Hong Kong, alertando o presidente dos EUA, Donald Trump. Pequim também não estabeleceu uma meta de crescimento econômico, já que a pandemia atinge a segunda maior economia do mundo.

O petróleo Brent caía US$ 1,39, ou 3,8%, para US$ 34,70 por barril por volta das 10h10 do horário de Brasília. O petróleo nos EUA (WTI) caía US$ 1,3, ou 3,9%, para US$ 32,60 por barril.

"Os investidores estão novamente enfrentando uma guerra de palavras intensas entre EUA e China", disse Stephen Brennock, da corretora PVM. "O coronavírus anulou uma década de crescimento da demanda global de petróleo e a recuperação será lenta".