Warner Music lança IPO de US$ 1,8 bilhões na Nasdaq

Oferta pública inicial deve ser a maior feita em Nova York até agora em 2020

Reuters
26 de maio de 2020 às 15:20

Foto: REUTERS/Fred Prouser

A Warner Music anunciou nesta terça-feira que está buscando vender até US$ 1,82 bilhão em ações em uma oferta pública inicial que potencialmente será o maior IPO em Nova York até agora em 2020, conforme a demanda por novas ações se recupera após a pandemia de Covid-19 ter colocado um freio em muitas operações.

A Warner Music, terceira maior gravadora do mundo e que possui artistas como Cardi B, Ed Sheeran e Bruno Mars, definiu faixa indicativa de preço de US$ 23 a US$ 26 por ação na oferta que vai envolver 70 milhões de papéis. No topo da faixa indicativa, o IPO avaliará Warner Music em US$ 13,26 bilhões.

A Warner Music, controlada pela Access Industries, do bilionário Len Blavatnik, não está vendendo qualquer ação na oferta. A operação é formada inteiramente de papéis detidos pelos atuais acionistas da gravadora, uma raridade em IPOs.

O IPO da companhia deveria ter ocorrido em março, mas a pandemia adiou os planos em meio à forte queda dos mercados.

O pessimismo, porém, parece estar dando sinais de reversão. Na semana passada, o site de comparação de seguros SelectQuote levantou US$ 360 milhões em um IPO que ficou acima da faixa indicativa.

A Warner Music teve prejuízo líquido de US$ 74 milhões no segundo trimestre fiscal encerrado em março ante lucro de US$ 67 milhões no mesmo período do ano passado.

(Por Joshua Franklin e Noor Zainab Hussain)