Bolsonaro: recursos do Bolsa Família usados em publicidade estavam 'sobrando'


Guilherme Venaglia, da CNN em São Paulo
05 de junho de 2020 às 20:51
Jair Bolsonaro

Presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido)

Foto: CNN (26.mai.2020)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta sexta-feira (5) em Brasília que os R$ 83,9 milhões do programa Bolsa Família transferidos para a utilização em propaganda oficial estavam "sobrando" e que "ninguém deixou de receber" o benefício.

"Ninguém deixou de receber, nem teve o Bolsa Família reduzido de valor", disse o presidente. "Está sobrando recurso para Bolsa Família porque estão recebendo em outra rubrica, que é a do auxílio-emergencial".

A respeito do pedido feito ao STF (Supremo Tribunal Federal) por sete estados do Nordeste, para que a Corte determine o retorno dos recursos ao programa, o presidente disse que vai deixar "a Justiça decidir". O caso tem como relator o ministro Marco Aurélio Mello, que em março proibiu cortes no Bolsa Família.

Leia também:

Governo transfere R$ 83,9 milhões do Bolsa Família para investir em propaganda

Transferência de recursos do Bolsa Família não foi prejudicial, diz governo

Uma das alegações dos estados é a de que apesar de ninguém ter deixado de receber, há fila de cadastros pendentes de aprovação, com os pedidos podendo ser analisados e pagos com os recursos sobressalentes. O presidente afirmou que "não tem pressa na fila", porque as pessoas que aguardam a aprovação para o Bolsa Família estão recebendo o auxílio-emergencial.

A Secretaria de Governo da Presidência informou que o que ocorreu foi um "remanejamento contábil de um órgão para outro, sem prejuízo de atender a política pública do Ministério da Cidadania e menos ainda para o programa Bolsa Família".