Dona da Le Lis Blanc, Restoque pede acordo financeiro e cita Covid-19 como causa


Matheus Prado, do CNN Brasil Business, em São Paulo
05 de junho de 2020 às 11:19 | Atualizado 05 de junho de 2020 às 11:46
Le Lis
Foto: Shopping Leblon/Reprodução

A Restoque, dona de marcas consagradas como Le Lis Blanc, John John, Bo.Bô, Rosa Chá e Dudalina, protocolou um acordo financeiro extrajudicial na manhã desta sexta-feira (05). Em nota, a empresa citou os impactos provocados pela pandemia do novo coronavírus, em especial o setor de varejo, como o principal motivo para renegociar pactos financeiros com credores. 

“O acordo abrange exclusivamente os credores financeiros da companhia (instituições financeiras e debenturistas), não envolvendo seus fornecedores, colaboradores ou quaisquer outros parceiros comerciais e, assim, não implicando alterações nas operações usuais da empresa”, diz a Restoque.

Apenas em estoque de dívida, segundo o cronograma de amortização de debêntures da companhia, o valor total a ser emitido é de R$ 985 milhões, sendo R$ 84 milhões de juros. O documento é referente ao primeiro trimestre de 2020. Já o valor total de dívida da companhia é estimado em cerca de R$ 1,5 bilhão, de acordo com balanço financeiro da empresa. 

Leia também:
Com 80% das lojas fechadas, C&A espera reabertura quase total em julho
Confira as ações mais indicadas para investir em junho, segundo corretoras
Vai pedir desconto? Confira 7 regras de ouro de mestres da negociação

A partir do acordo, a empresa terá carência de 12 meses contados a partir da homologação para iniciar o pagamento de juros. Já a quitação das parcelas do valor principal será iniciado em junho de 2023, sendo que mais de 70% do total da dívida vencerá somente ao final de junho de 2025. Além disso, até o final de 2021, o acordo prevê um aumento de capital de R$ 150 milhões.

Ainda por meio do fato relevante, a dona da Le Lis Blanc afirma que o "acordo não altera as projeções financeiras referentes aos exercícios sociais de 2020 a 2025, divulgadas no fato relevante datado de 18 de maio de 2020."

Em 2019, a empresa registrou faturamento bruto de R$ 1,24 bilhão, 22,9% menor que o acumulado em 2018, que ficou em R$ 1,61 bilhão. Para 2020, porém, a expectativa é de queda no montante, atrelada aos impactos da Covid-19, com previsão de R$ 750 milhões no total.

Nas projeções financeiras divulgads pela companhia, espera-se um faturamento similar ao de 2019 apenas em 2021, com resultado previsto a R$ 1,28 bilhão. Já em 2025, o valor deve saltar para R$ 1,82 bilhão.

Problemas financeiros

Embora a empresa tenha atrelado o acordo aos impactos econômicos causados pelo novo coronavírus, os problemas financeiros da Restoque já apareciam antes da pandemia.

Segundo os resultados financeiros da empresa, a companhia registrou queda de 23,3% em suas receitas líquidas de vendas em 2019, comparando com os números de 2018. A dívida líquida chegou a R$ 1,17 bilhão no 3º tri de 2019 e fechou o ano em R$ 794,7 milhões.

Com estrelas como Bruna Marquezine, Alessandra Ambrósio e Gerard Butler em suas campanhas publicitárias, as marcas da Restoque carrega destaque no mercado. Possui moda jovem, com a Rosa Chá, feminina, masculina e de casa, com a Le Lis Blanc, social, com a Dudalina, e de luxo, com Bo.Bô. Tem ainda no seu portfólio a John John, marca de lifeslyte que virou febre no Brasil nos últimos anos.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook