Embraer tem crédito de R$ 3 bilhões aprovado por BNDES e bancos privados

O dinheiro será utilizado como empréstimo para capital de giro e no financiamento das exportações e tem prazo de pagamento de quatro anos

Raquel Landim
Por Raquel Landim, CNN  
15 de junho de 2020 às 18:58 | Atualizado 15 de junho de 2020 às 19:21
Aeronaves da Embraer e da Boeing lado a lado: após fracasso do negócio, fabricante brasileira precisou de empréstimo
Foto: Pascal Rossignol - 16.jun.2017/ Reuters

O BNDES e os bancos privados aprovaram US$ 600 milhões, cerca de R$ 3 bilhões, em financiamento para a Embraer. Metade desses recursos virão do banco estatal e o restante de um consórcio de instituições financeiras.

O dinheiro será utilizado como empréstimo para capital de giro e no financiamento das exportações e tem prazo de pagamento de quatro anos. Essa operação não inclui nenhum tipo de participação acionária na Embraer. Segundo apurou a reportagem, não está descartada um novo financiamento que envolva participação acionária, mas, por enquanto, isso ainda não ocorreu.

Leia também:
Embraer troca chefe da aviação comercial após fracasso de acordo com Boeing

A Embraer vinha enfrentando dificuldades com a redução de novas encomendas de aeronaves por conta da pandemia do novo coronavírus e com o fim do negócio com a Boeing. No final de abril, a empresa americana desistiu de comprar as operações de aviação comercial da Embraer.

Também nesta segunda-feira (15) a Embraer anunciou a reintegração da aviação comercial nos seus negócios e a troca do comando dessa área. Deixa o cargo John Slattery e entra Arjan Meijer.

Essa é a primeira grande operação do BNDES e dos bancos para ajudar grandes empresas em dificuldades por causa da pandemia do novo coronavírus. A operação surpreendeu pela velocidade e acabou saindo antes até do apoio para as companhias áreas: Latam, Gol e Azul.

Clique aqui e siga a página do CNN Brasil Business no Facebook