Governo irá fracionar pagamento de parcelas adicionais do auxílio emergencial


Renata Agostini
Por Renata Agostini, CNN  
30 de junho de 2020 às 15:34 | Atualizado 30 de junho de 2020 às 19:56

O governo montou um plano para fazer “render” as duas novas parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial, que serão anunciadas nesta terça-feira, 30.

Os pagamentos serão fracionados. Em julho, R$ 500 serão pagos no início do mês e R$ 100 no final. Já em agosto, R$ 300 serão depositados aos beneficiários nos primeiros dias e os R$ 300 restantes só no final do mês.

Leia também:
Auxílio emergencial e o futuro dos programas de transferência de renda no Brasil
Governo divulga calendário de pagamento da 3ª parcela de R$ 600 do auxílio
O abono salarial do PIS deveria ser extinto para ampliar o Bolsa Família?

Com isso, o governo irá promover uma “transição suave” para o fim do benefício, segundo uma fonte da equipe econômica. A modelagem se aproxima do plano que chegou a ser confirmado pelo presidente Jair Bolsonaro de prorrogar o auxílio em três parcelas: uma de R$ 600, uma de R$ 500 e outra de R$ 400.

A vantagem, porém, é que estendendo o benefício por dois meses, no valor cheio de R$ 600 a cada mês, o governo fica livre de ter de encaminhar o tema ao Congresso. Basta prorrogar o benefício com base no projeto já aprovado.