Rodrigo Maia recebe demandas de entregadores de aplicativos


Noeli Menezes, da CNN, em Brasília
08 de julho de 2020 às 13:36
Entregador do Rappi

 

Foto: Luisa Gonzalez/Reuters

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebeu no final da manhã desta quarta-feira (8) representantes de entregadores de aplicativos para discutir as demandas da categoria, que planeja nova paralisação nacional no próximo dia 25.  A primeira greve aconteceu no dia 1º de julho.

Segundo a líder do PSOL na Câmara, Fernanda Melchiona, que participou do encontro, Maia se comprometeu a criar um grupo de trabalho para reunir os mais de 20 projetos de lei que tramitam na Casa e preparar um substitutivo que englobe as principais reivindicações.

Nessa lista, constam melhores remunerações nas taxas de entrega, criação de uma taxa mínima de remuneração baseada em quilometragem, fim dos bloqueios sem justificativa pelos aplicativos e mais segurança para os trabalhadores, com a criação de seguro e o fornecimento de equipamentos de segurança sem custos.

Na reunião, lideranças do movimento dos entregadores relataram situações em que trabalham mais de 14 horas por dia e recebem como remuneração menos de um salário mínimo por mês.

O bloqueio pelo aplicativo também é outra reclamação recorrente dos profissionais. Eles afirmam que não têm direito de resposta quando são excluídos sem justificativa das plataformas e pedem que esse bloqueio só seja permitido após processo administrativo.

Representantes das empresas não participaram da reunião, mas devem ser chamados para audiências públicas que serão realizadas para discutir o tema na Câmara.