Latam Brasil entra com pedido de recuperação judicial nos EUA


Diego Freire, da CNN, em São Paulo
09 de julho de 2020 às 05:27 | Atualizado 09 de julho de 2020 às 12:20

Em comunicado divulgado na madrugada desta quinta-feira (9), a Latam Airlines Brasil informou que passa a integrar o processo de reorganização e reestruturação voluntária sob a proteção do Capítulo 11 da lei dos Estados Unidos. A medida representa um pedido de proteção contra falência (recuperação judicial). 

O Grupo Latam Airlines e suas afiliadas no Chile, Peru, Colômbia, Equador e Estados Unidos já fazem parte desse processo desde 26 de maio de 2020. Agora, o braço brasileiro também recorre à medida, que visa reestruturar passivos financeiros, abrindo acesso a novas fontes de liquidez.

Leia também:
Câmara aprova MP que define reembolso por voos cancelados na pandemia

Latam pede recuperação judicial nos EUA

 

A companhia afirma que o processo de recuperação judicial não interfere em suas operações e que continuará a realizar voos normalmente dentro e fora do Brasil. 

Ainda segundo a empresa, a medida é tomada diante do prolongamento da crise do novo coronavírus, que gerou perdas importantes para o setor aéreo.

“Tomamos esta decisão neste momento para que a empresa possa ter acesso a novas fontes de financiamento. Estamos seguros de que estamos nos movendo de forma responsável e adequada, pois temos o desafio de transformar a empresa para que ela se adapte à nova realidade pós-pandemia e garanta a sua sustentabilidade no longo prazo”, afirmou Jerome Cadier, CEO da Latam Brasil.

“Adicionalmente, este movimento pode facilitar o financiamento que está em negociação com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), além de oferecer uma opção mais segura ao Banco, já que o DIP (Debtor-in-possession) tem prioridade em relação a outros passivos da empresa”, acrescentou.