Delta reduz pela metade o número de voos planejados para agosto

Uma recuperação do setor pode levar mais de dois anos, segundo a maior companhia aérea americana

Da Reuters
14 de julho de 2020 às 12:09 | Atualizado 14 de julho de 2020 às 12:33

Aviões da Delta: número de voos da companhia em agosto será a metade do planejado inicialmente

Foto: Reuters/Elijah Nouvelage

A Delta Air Lines reduziu o número de voos que planejava adicionar em agosto em meio a um aumento dos casos de Covid-19 nos Estados Unidos e alertou que serão necessários mais de dois anos para que a indústria veja uma recuperação sustentável do "espantoso" impacto da pandemia. 

"Estamos paralisados agora", disse o CEO da empresa, Ed Bastian, acrescentando que a retomada da demanda ao longo de junho para viajar para destinos como Las Vegas, o estado da Flórida ou Nova York foi impactada pelo aumento de casos e as novas medidas de isolamento.

Leia também: 
American Airlines alerta para queda de 25% na capacidade internacional em 2021
United Airlines adicionará quase 25 mil voos em cronograma no pós-pandemia

A empresa reduziu os voos que planejava adicionar em agosto de 1.000 para 500. 

A Delta registrou um prejuízo líquido ajustado de US$ 2,8 bilhões, ou  US$ 4,43 por ação, no segundo trimestre. A receita de passageiros despencou 94% no período, que alguns analistas consideram o pior da história da aviação. 

A Delta manteve sua meta de reduzir a queima diária de caixa, que chegou a atingir US$ 100 milhões no início da pandemia, embora Bastian tenha alertado que isso depende da demanda.

"Há muito risco, porque é difícil prever o que vai acontecer com o vírus", disse ele.

A companhia reduziu sua queima diária de caixa para cerca de US$ 27 milhões em junho e vê uma taxa semelhante em julho, com melhorias à medida que as economias se abrem e as pessoas se sentem mais confortáveis para viajar.

A Delta tinha US$ 15,7 bilhões em liquidez no fim de junho. A empresa ainda não decidiu se aceita um empréstimo garantido de US$ 4,6 bilhões nos termos da lei americana de estímulo à economia - ele estará disponível até 30 de setembro.

A empresa já recebeu US$ 5,4 bilhões para cobrir a folha de pagamento até setembro sob o mesmo pacote do governo dos EUA.

A analista Helane Becker, da Cowen, afirmou que o destaque do trimestre foi o controle de custos melhor que o esperado, mas disse que as perspectivas de receita "continuam sendo desafiadas devido a reservas irregulares e ao prolongamento da pandemia".

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook