Netflix vê 'efeito pandemia' perder força e fica atento ao avanço do TikTok


Marcelo Sakate, do CNN Brasil Business, em São Paulo
16 de julho de 2020 às 19:31 | Atualizado 16 de julho de 2020 às 21:43
Netflix logo

Gigante do streaming acelerou a conquista de assinantes pagos com a pandemia 

Foto: Dado Ruvic/Reuters

Uma das empresas queridinhas dos investidores na pandemia, por causa da quarentena forçada de milhões de pessoas, a Netflix conquistou mais assinantes do que o esperado no segundo semestre, divulgou a companhia nesta quinta-feira (16) depois do fechamento do mercado.

Mas esse "efeito pandemia" chegou ao seu limite, segundo as projeções da própria empresa. 

A base de usuários pagantes aumentou em 10,09 milhões no mundo no segundo trimestre, acima da expectativa média de analistas de adição de 8,07 milhões de usuários, segundo dados da Refinitiv. Mas houve já desaceleração de 36% em relação aos 15,77 milhões de janeiro a março.

Para o terceiro trimestre, a Netflix espera ganhar "apenas" 2,5 milhões de novos assinantes pagos, o que, se confirmado, vai ser um número não registrado desde o segundo trimestre de 2019.

Leia também:
Chefe da unidade de streaming da Disney será presidente da TikTok
Netflix conseguirá manter status de ação preferida de Wall Street na pandemia?
Serviços de streaming: conheça as novas plataformas que chegam ao Brasil

Com tamanho crescimento durante a pandemia, a base global de assinantes pagos se aproxima dos 200 milhões de pessoas (ficou em 193 milhões ao fim de junho). É um crescimento anual de 27%. 

O lucro de abril a junho chegou a R$ 720 milhões, ligeiramente acima dos R$ 709 milhões do primeiro trimestre. Na comparação com o mesmo período de 2019, o crescimento foi de 166%.

O lucro por ação ficou em US$ 1,59, abaixo da projeção média do mercado de US$ 1,81. Esse dado aquém do esperado e as novas estimativas mais fracas levaram as ações da Netflix a uma queda aproximada de 10% nas negociações depois do encerramento do pregão na Nasdaq.

Já as receitas somaram R$ 6,148 bilhões, com alta de 6,6% ante o primeiro trimestre. 

Os resultados da mais famosa empresa de streaming do mundo foram impulsionados pelas medidas de quarentena contra o coronavírus, ausência de eventos ao vivo e de produções no cinema.

Guerra do streaming 

A empresa que popularizou o streaming no mundo dedicou parte de seu relatório sobre os resultados no segundo trimestre para falar do aumento da concorrência.

"Todas as maiores companhias de entretenimento, como WarnerMedia, Disney e NBCUniversal, estão levando adiante seus próprios serviços de streaming, e duas das mais valiosas empresas do mundo, Apple e Amazon, estão ampliando seu investimento em conteúdo premium", diz a Netflix.

A empresa se mostra atenta ao avanço de concorrentes que não são originalmente da área de conteúdo. "O crescimento do TikTok é impressionante, mostrando a fluidez do entretenimento na internet." 

Mas, em seguida, a Netflix diz que vai seguir com a sua estratégia de buscar melhorar a qualidade de serviços e do conteúdo mais rapidamente do que os concorrentes, algo que o forte crescimento tem atestado funcionar, além de provar o tamanho desse mercado.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook