Ações da Via Varejo oscilam após máxima histórica por divulgação de dados

Papéis da companhia dispararam após dados de vendas online serem divulgados no Twitter

Da Reuters
21 de julho de 2020 às 12:23 | Atualizado 21 de julho de 2020 às 15:36

As ações da Via Varejo renovaram máximas nesta terça-feira, após a companhia divulgar dados sobre vendas online em maio e junho que referendaram apostas de resultado forte no segundo trimestre.

Os papéis da varejista alcançaram a máxima histórica de R$ 22,36. Porém, depois que a CVM abriu um processo de análise de informações sobre o compartilhamento dos dados no Twitter, as ações despencaram. 

Às 12h11, os papéis da Via Varejo tinham desvalorização de 2,36%, sendo negociados a R$ 20,65. No pior momento do dia, as ações caíram 6,42%. 

A dona das redes Casas Bahia e Ponto Frio mostrou na madrugada desta terça-feira o desempenho de vendas online em determinadas categorias no período de 1 de maio a 21 de junho ante 3 de maio e 23 de junho de 2019, após publicar os dados no seu próprio Twitter na segunda-feira, antes de serem apagados. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) afirmou que a divulgação dos dados está sendo analisada em processo administrativo.

Leia também:
Via Varejo é a nova Magalu? Ação da empresa dispara e renova cotação histórica

Em fato relevante que acabou sendo divulgado apenas no final da noite, a Via Varejo disse que, considerando as vendas por categoria para consumidores finais (1P B2C) no canal online, a de games/câmera mostrou incremento de 859%, seguida por informática (+475%), queimadores (+418%), televisores (+382%), telefonia (+354%), refrigeração (+283%), lavadoras (+248%) e som(232%).

Por 'Best Seller' na categoria, os números foram ainda mais fortes, com as vendas games/câmera crescendo 2.507%, seguidas por televisores (+1.899%), som (+1.518%), informática (+1.453%), telefonia (+1.095%), queimadores (+746%), refrigeração (+400%) e lavadoras (+308%).

O analista Felipe Reboredo, da Safra Corretora, ponderou em nota a clientes que os dados das operações divulgados pela empresa são fortes e que os números reais serão positivos, mas menos dinâmicos. "Nossas sondagens indicam estabilidade de GMV no segundo trimestre de 2020 (para online e lojas físicas), com uma queda de quase 10% nas vendas líquidas", afirmou.

A equipe do Itaú BBA afirmou também em nota a clientes que, embora reconheça o forte aumento nas vendas online da empresa no período, o mercado já precificou os dados na véspera.

A Via Varejo afirmou no fato relevante que a publicação dos dados na manhã da segunda-feira no Twitter "não foi autorizada e não é política da companhia divulgar este tipo de informação".

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook